Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


15 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Associação de moradores critica arbitrariedade policial em ações na Rocinha - Jornal Brasil em Folhas
Associação de moradores critica arbitrariedade policial em ações na Rocinha


O presidente da Associação de Moradores da Rocinha, Carlos Eduardo Barbosa, denunciou arbitrariedades supostamente cometidas por agentes de segurança nas ações desenvolvidas na comunidade desde a última sexta-feira (22), quando começou a ocupação da localidade por tropas federais, em apoio às polícias Civil e Militar.

Carlos Eduardo falou nesta terça-feira (26), durante um encontro realizado em uma quadra esportiva na entrada da Rocinha, que reuniu moradores, lideranças sociais e policiais militares. “Casas estão sendo invadidas, portas quebradas, bens sendo roubados, casas saqueadas. Isto é uma vergonha. O governo não mandou para cá nenhuma instituição de assistência social, nem direitos humanos. A gente está a mercê”, falou ele, em entrevista a jornalistas.

Na opinião do presidente da associação, não está havendo uma guerra na Rocinha, como estaria sendo veiculado em parte da mídia e por meio das redes sociais. “Verdade seja dita, não existe guerra nenhuma aqui na Rocinha. Esses militares aqui dentro não justificam o investimento de R$ 1 milhão a R$ 2 milhões por dia, que poderiam estar sendo investidos em saúde e educação. As escolas hoje estão fechadas, os postos de saúde estão fechados. As crianças não estão indo para a escola, estão passando fome”, disse Carlos Eduardo.
Rio de Janeiro - O major da PM Cunha Neves, da UPP da Rocinha, e moradores da comunidade debatem a ação das Forças Armadas no combate a confrontos entre traficantes (Fernando Frazão/Agência Brasil)

O major da PM Cunha Neves, e moradores da comunidade debatem ação das Forças Armadas no combate a confrontos entre traficantes Fernando Frazão/Agência Brasil

O comandante da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), major Cunha Alves, participou do encontro e disse que o cenário não é de guerra, mas é muito complexo. Reconheceu que policiais eventualmente erram, mas que quando isso acontece, são tomadas providências. Segundo o militar, as denúncias de casas arrombadas devem ser feitas diretamente na delegacia policial. O delegado titular da 11ª DP, Antônio Ricardo, disse que apenas um caso de arrombamento de residência em operações policiais foi reportado até o momento, mas que não foi possível concluir se o caso envolveu realmente agentes de segurança ou traficantes usando fardas militares.

A reportagem da Agência Brasil procurou a Secretaria de Segurança Pública para comentar a denúncia dos moradores, mas não obteve resposta até o momento.

Um morador que assistia à reunião disse que duvidava de tantos arrombamentos denunciados pela associação. Segundo o jovem, que mora há 26 anos na comunidade e trabalha de padeiro, o objetivo de alguns é retirar as Forças Armadas da comunidade. Ele disse que, na sua opinião, a maior parte dos moradores é a favor das operações de segurança, mas não pode falar isso em público, por medo de represálias do tráfico.

Jovem desaparecido

Uma das pessoas que falou durante o encontro foi a moradora Francisca Rodrigues Gomes, que está há mais de uma semana tentando obter informações sobre o seu filho Anderson Rodrigues Rangel, de 17 anos, que está desaparecido. Ela teme que ele tenha sido morto.

“Eu cheguei do trabalho na quinta-feira e recebi notícia que tinha havido um tiroteio na Vila Verde e fiquei desesperada. Ouvi que tinham baleado várias pessoas na mata. Fui na delegacia, no Hospital [Municipal] Miguel Couto, no IML [Instituto Médico Legal] e nada. Nesta quarta-feira (27), faz oito dias que não vejo ele. O meu desespero é muito grande”, disse Francisca. Segundo ela, o jovem não tinha envolvimento com o tráfico e trabalhava com o pai, vendendo peixe na feira.

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212