Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


23 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Tribunal de Justiça do Rio restringe uso de laxantes no sistema prisional - Jornal Brasil em Folhas
Tribunal de Justiça do Rio restringe uso de laxantes no sistema prisional


O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ) decidiu em segunda instância restringir o uso de laxantes no sistema prisional ao ambiente hospitalar, com o devido acompanhamento médico. De acordo com a sentença, em favor da Defensoria Pública, a aplicação de laxativos também deve levar em conta o risco de morte resultante do rompimento para a corrente sanguínea da substância encontrada no aparelho digestivo do paciente.

Em primeira instância, a Justiça já havia proibido a prática dos agentes penitenciários de submeter os prisioneiros ao uso de água com sabão em pó ou detergente, com a mesma função do laxante. Esse fato foi apurado pelo Núcleo de Defesa dos Direitos Humanos da Defensoria Pública do estado (Nudedh), em visitas periódicas às unidades prisionais. A decisão foi confirmada pelo TJRJ.

O coordenador do Nudedh, Fábio Amado, destaca a crueldade da prática de impor que uma pessoa beba água com sabão para expelir algo do organismo. A prática atenta contra os preceitos consagrados em tratados internacionais de direitos humanos que proíbem a tortura e outros tratamentos ou penas cruéis, degradantes ou desumanos. Todas as pessoas devem ser tratadas com o respeito devido à dignidade inerente ao ser humano, ainda que privadas de liberdade. O encarceramento não autoriza que ações cruéis sejam perpetradas em desfavor dos custodiados, disse o coordenador.

A sentença da Justiça definiu um laxante específico para o processo e considerou desnecessário o consentimento da pessoa para a realização do procedimento, uma vez que o processo é realizado com o objetivo de salvar a vida de quem foi flagrado com corpo estranho no organismo e, ainda, de evitar que substâncias, como as drogas, entrem no sistema prisional, de acordo com a Defensoria.

O estado recorreu da decisão, alegando que utiliza o medicamento adequado e em um ambiente hospitalar.

 

Últimas Notícias

MPF acusa Temer e Moreira Franco de corrupção em obras de Angra 3
“É muito ruim para o país ter um ex-presidente preso”, diz Mourão
STF adia julgamento sobre compartilhamento de dados da Receita com MP
Mourão diz que reforma dos militares é superavitária
Mourão: prisão de Temer não deve atrapalhar votações no Congresso
Alerj dá posse a deputados presos e convocará suplentes
Cada um deve responder por seus atos, diz Bolsonaro sobre Temer
Bolsonaro recebe homenagem na porta do Palácio do Alvorada

MAIS NOTICIAS

 

Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
 
 
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
 
 
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
 
 
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
 
 
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
 
 
Conflitos e segurança poderão contar pontos na avaliação de escolas

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212