Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Após críticas, Trump suspende restrição para envio de produtos a Porto Rico - Jornal Brasil em Folhas
Após críticas, Trump suspende restrição para envio de produtos a Porto Rico


O presidente Donald Trump anunciou hoje (28) a suspensão de restrições ao frete de combustíveis e produtos em geral para Porto Rico. A medida foi tomada após um pedido do governador da ilha, Ricardo Rossello, e após protestos no Congresso americano para chamar a atenção para a crise humanitária enfrentada por Porto Rico – território americano com cerca de 3,5 milhões de habitantes.

Após a passagem do Furacão Maria, na semana passada, os porto riquenhos sofrem com a falta de alimentos, água potável, energia elétrica, serviços de comunicação e combustíveis.

A decisão suspende temporariamente as restrições da chamada Jones Act (Lei Jones, em tradução livre) que proíbe embarcações estrangeiras de transportar combustíveis entre portos norte-americanos. A suspensão de restrições abrange não só os combustíveis, mas todo tipo de produtos. A suspensão anunciada tem validade de dez dias.

Com suspensão das restrições fica mais fácil a chegada de suprimentos à ilha. O governo Trump não havia, até então, ampliado a medida para Porto Rico e começou a ser criticado e acusado de desprezar a ilha, onde vivem cidadãos americanos em maioria de ascendência latina. Além de suspender a restrição portuária, Donald Trump anunciou que vai visitar Porto Rico na próxima terça-feira (3).

Críticas

Os protestos entre congressistas começaram porque Donald Trump havia ordenado a suspensão da Lei Jones para os portos da Flórida e Texas, após a passagem dos furacões Irma (Flórida) e Harvey (Texas), mas não havia adotado a mesma medida com Porto Rico - que sofreu a influência de dois furacões em um período de dez dias: primeiro o Irma e depois o Maria.

Políticos e artistas norte-americanos de origem latina, como a atriz Jennifer Lopez e o cantor Mark Anthony, criticaram Trump e o acusaram de de não atender as demandas na ilha prontamente, após a passagem do furacão Maria, que deixou ao menos 16 mortos.

Os senadores que reivindicaram a suspensão já se posicionaram após a medida. O senador John McCain, republicano do Arizona, que havia pedido a revogação da medida, comemorou pelo Twitter a decisão de, finalmente, revogar um ato totalmente arcaico.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212