Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Prêmios Nobel, a última vontade do cientista sueco Alfred Nobel - Jornal Brasil em Folhas
Prêmios Nobel, a última vontade do cientista sueco Alfred Nobel


O inventor da dinamite, Alfred Nobel, apresentou o seu desejo de atribuir os prêmios Nobel, que com o tempo de tornaram famosos, em um testamento assinado em Paris em 1895, um ano antes de sua morte em San Remo, na Itália.

O documento estipulava que ele deixava um capital de 31,5 milhões de coroas suecas, que equivaleria - levando em conta a inflação - a 1,8 bilhão de coroas suecas atuais (188 milhões de euros ou 221 milhões de dólares).

Os valores deveriam ser divididos a cada ano entre aqueles que ao longo do ano anterior tivessem realizado o maior benefício à humanidade.

O testamento estipulava a divisão desse renda em cinco partes iguais.

Uma parte para quem tiver descoberto a invenção mais importante no campo da Física; uma parte para quem tiver realizado o progresso mais importante na Química; uma parte para quem tenha feito a descoberta mais importante no âmbito da Fisiologia ou da Medicina; uma parte para quem tiver produzido a obra mais importante de tendência idealista no campo da Literatura; e uma parte para quem tiver trabalhado mais ou melhor em prol da fraternidade entre os povos, a abolição ou redução dos exércitos permanentes e da celebração ou difusão de congressos pela paz, detalha o documento.

Legalmente, o testamente não indicava nenhum beneficiário da fortuna, fazendo com que, após a sua leitura em janeiro de 1897, membros da família Nobel o rejeitassem com veemência.

Além disso, Alfred Nobel indicou em seu testamento os diferentes comitês que atribuem os prêmios a cada ano: a Academia Sueca para Literatura, o Karolinska Institutet para Medicina, a Real Academia Sueca de Ciências para Física e Química, e um comitê de cinco membros especialmente escolhidos pelo Parlamento norueguês para a Paz.

No entanto, não explicou as modalidades que cada comitê deveria seguir para atribuir os prêmios em sua área.

Foram necessários mais de três anos para resolver essa questão com a criação da Fundação Nobel, encarregada de administrar o capital dos prêmios enquanto os diferentes comitês se ocupam de sua atribuição.

Em 1968, coincidindo com o seu tricentenário, o Banco Central da Suécia (Riksbank) criou um prêmio de Economia em memória de Alfred Nobel, colocando à disposição da Fundação Nobel uma soma anual equivalente ao montante dos outros prêmios.

Hoje, cada prêmio, que não pode ser concedido de maneira póstuma, é dotado de nove milhões de coroas suecas (940.000 euros ou 1,1 milhão de dólares).

 

Últimas Notícias

Bolsonaro terá uma série de reuniões na próxima semana em Brasília
Com pênalti controverso, Brasil vence Uruguai por um a zero
Brasil está preparado para substituir médicos cubanos, afirma Temer
Chega a quatro número de vítimas das chuvas em Belo Horizonte
Estudantes poderão renovar o Fies até o dia 23
Massoterapeuta Dani Bumbum deixa prisão no Rio
Cervejas terão rótulos com os ingredientes usados na fabricação
Temporal causa mortes e estragos em BH; adolescente está desaparecida

MAIS NOTICIAS

 

Morre em Pelotas o criador da camisa canarinho, Aldyr Schlee
 
 
Brasil concentrou 40% dos feminicídios da América Latina em 2017
 
 
Jungmann e Toffoli anunciam sistema para unificar processos de presos
 
 
Pensamento liberal deve guiar a equipe econômica de Bolsonaro
 
 
Gold3-4 minutosfajn permanecerá à frente do BC até Senado aprovar Campos Neto
 
 
Senado argentino aprova orçamento de 2019 como prometeu ao FMI

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212