Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


25 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Ministro nega que governo pretenda propor privatização da Petrobras - Jornal Brasil em Folhas
Ministro nega que governo pretenda propor privatização da Petrobras


O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho negou hoje (3) que o governo pretenda propor a privatização da Petrobras. De acordo com o ministro, tal possibilidade está fora de cogitação, e a prioridade é trabalhar na modelagem da privatização da Eletrobras e suas subsidiárias.

Nosso foco é a Eletrobras. Não estamos tratando disso [privatização da Petrobras], disse Fernando Coelho Filho após participar, no Senado Federal, de audiência sobre as medidas provisórias (MPs) 789/17, 790/17 e 791/17, que tratam de mudanças no Código de Mineração.

O ministro fez a afirmação após ter dito, em entrevista na noite passada, que a privatização da petroleira “poderia ocorrer”. Segundo Fernando Coelho Filho, tal afirmação referia-se à possibilidade de o tema entrar no debate das eleições de 2018. “Realmente, eu disse que a privatização da Petrobras poderia até acontecer no futuro porque o convidado sugeriu que deveria ser um debate para as eleições de 2018”, explicou.

De acordo com o ministro, a modelagem final para a privatização da Eletrobras deve ser finalizada até o fim desta semana. “Vamos levar a modelagem ao presidente Michel Temer até o fim da próxima semana, no máximo, no início da semana seguinte, para trazê-la ao Congresso ainda em outubro.”

Escalonamento

Durante a audiência, Fernando Coelho Filho defendeu mudanças na área da mineração, com o argumento de que as medidas previstas vão destravar os investimentos no setor.

Entre as alterações está o escalonamento das alíquotas da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (Cfem), o royalty cobrado das empresas que atuam no setor.

A MP 789 estabelece que as alíquotas terão variação entre 0,2% e 4%, dependendo do tipo de minério e, em alguns casos, da cotação no mercado internacional.

Presentes à audiência, os governadores do Pará, Simão Jatene, e de Minas Gerais, Fernando Pimentel, estados com maior atividade no setor, manifestaram-se contra o escalonamento. Ambos defenderam a unificação da alíquota em 4%.

“Acho que isso é o mais urgente: uma Cfem que de fato remunere e dê certo conforto a estados e municípios”, disse Pimentel.

Preservação
Brasília - Ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, e o governador do Pará, Simão Jatene, durante audiência da comissão mista que analisa as medidas provisórias que tratam do novo marco regulatório ao setor de mi

O ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, e o governador Simão JateneMarcelo Camargo/ABr

O ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, mostrou-se preocupado com a proteção do meio ambiente e propôs alterações no texto das medidas para prever punições mais rigorosas para as empresas que desrespeitarem a lei.

“Depois do que aconteceu em Mariana, temos que tomar cuidados redobrados. Se essa MP for aprovada como está, sem acréscimo de garantias socioambientais, é possível que tragédias como essa se repitam”, alertou o ministro.

Em 2015, o rompimento de uma barragem da Samarco, no município mineiro de Mariana, liberou mais de 60 milhões de metros cúbicos (m³) de rejeitos de mineração, devastando a vegetação nativa e poluindo a Bacia do Rio Doce.

A tragédia matou 19 pessoas e destruiu casas na cidade de Mariana, levando destruição até o estado do Espírito Santo.

 

Últimas Notícias

Jovens têm menos chance de contratação e mais de serem demitidos
Bolsa cai e dólar fecha em R$ 3,80
Araújo: dispensa de status especial na OMC nos coloca como país grande
Países sul-americanos devem sair de uma só vez da Unasul, diz ministro
Chanceler descarta emprego das Forças Armadas na Venezuela
Moçambique, Zimbábue e Malauí tentam identificar vítimas de ciclone
Nova Zelândia quer proibir, em abril, venda de armas do tipo militar
Conselho Europeu aceita prorrogar saída do Reino Unido para maio

MAIS NOTICIAS

 

Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
 
 
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
 
 
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
 
 
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
 
 
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
 
 
Conflitos e segurança poderão contar pontos na avaliação de escolas

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212