Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


15 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 ONU pede mais diálogo e respeito aos direitos humanos na Catalunha - Jornal Brasil em Folhas
ONU pede mais diálogo e respeito aos direitos humanos na Catalunha


O alto-comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Zeid Raad Al Hussein, afirmou hoje (2), em Genebra, Suíça, estar muito perturbado pela violência observada durante o referendo de ontem na Catalunha.

“Com centenas de pessoas feridas, exorto as autoridades espanholas a assegurar investigações completas, independentes e imparciais de todos os atos de violência. As respostas da polícia devem, em todos os momentos, ser proporcionais e necessárias. Acredito firmemente que a situação atual deve ser resolvida através do diálogo político, com pleno respeito às liberdades democráticas. Exorto o governo da Espanha a aceitar sem demora os pedidos de especialistas relevantes dos direitos humanos da ONU”, disse ele.

Pouco mais de dois milhões de pessoas votaram ontem a favor de que a Catalunha se torne um estado independente da Espanha. A Catalunha tem, no total, 7,5 milhões de habitantes. Segundo o governo catalão, 90% dos eleitores votaram sim pela independência da região e 7,8% votaram não.

Independência

Após a divulgação dos resultados, o governo catalão afirma que vai começar o processo de independência nos próximos dias, enquanto o governo espanhol declara que o referendo foi ilegal e não será levado em conta.

A Generalitat (governo catalão) pediu hoje a saída da Polícia Nacional e da Guarda Civil espanhola do território da Catalunha. Para amanhã, há previsão de uma greve geral na região, em protesto pela violência que deixou quase 900 feridos, segundo a Generalitat.

“Brutalidade, repressão brutal e abusiva e grave violência policial” foram algumas expressões usadas hoje pelo chefe do governo catalão, Carles Puigdemont, ao afirmar que os catalães “ganharam o direito a serem escutados, respeitados e reconhecidos” pela União Europeia, que “não pode continuar olhando para o outro lado”.

Puigdemont disse ainda que os cidadãos da Catalunha ganharam o direito de ter um Estado independente que se constitua em forma de República.

O artigo 4.4 da Lei de Transitoriedade aprovada pelo Parlamento catalão e que permitia a realização do referendo afirma que dentro de dois dias após a divulgação dos resultados o Legislativo catalão celebrará uma sessão ordinária para efetuar a declaração formal da independência da Catalunha. Essa norma contudo foi suspensa pelo Tribunal Constitucional espanhol.

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212