Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


22 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Partido de Rajoy lembra presidente catalão detido e fuzilado pelo franquismo - Jornal Brasil em Folhas
Partido de Rajoy lembra presidente catalão detido e fuzilado pelo franquismo


Um porta-voz do partido do chefe de governo espanhol, Mariano Rajoy, gerou polêmica nesta segunda-feira (9) ao advertir que o presidente catalão poderá terminar como um antecessor que proclamou o Estado catalão, foi detido em 1934 e posteriormente fuzilado pelo franquismo.

Sorridente, Pablo Casado, vice-secretário de comunicações do Partido Popular, afirmou em referência aos separatistas catalães: a história não tem que ser repetida, esperemos que amanhã não se declare nada, porque quem declarar (um Estado independente) acabará como o que declarou há 83 anos.

Em 6 de outubro de 1934, o então presidente catalão Lluís Companys, da esquerda republicana, proclamou o efêmero Estado catalão da república federal da Espanha durante uma dezena de horas.

Detido e condenado a 30 anos de prisão, foi anistiado em fevereiro de 1936 após a vitória do Frente Popular, e voltou a ser presidente da Catalunha ao fim da Guerra Civil espanhola (1936-1939).

Refugiado na França, Companys foi detido em 1940 pela Gestapo, polícia secreta da Alemanha nazista, e fuzilado em Barcelona por militares de Franco.

Uma jornalista perguntou imediatamente a Casado se ele se referia à detenção ou à execução de Companys.

O que para eles parece uma data épica, que é a declaração de independência, teve uma contestação, afirmou Casado, ressaltando: eu não sou um historiador, muito menos futurólogo.

Peço licença de fazer uma referência ao que aconteceu na sexta-feira (o aniversário da declaração de independência por Companys), que eles lembraram muito, pensando que iria convergir com a sua declaração, acrescentou.

O presidente separatista de Catalunha, Carles Puigdemont, comparecerá na terça-feira no Parlamento catalão e segundo várias fontes poderia fazer uma declaração unilateral de independência.

A declaração de Casado provocou imediatamente comoção na Catalunha, onde a televisão pública a difundia como a frase do dia. Foi um dos temas mais discutidos na rede social Twitter, onde o debate rapidamente se espalhou.

O debate sobre o futuro da Catalunha fez ressurgir a história mal digerida da Guerra Civil espanhola e da ditadura de Francisco Franco (1939-1975), que foi particularmente dura com a Catalunha.

 

Últimas Notícias

Deputado Marlúcio promove caminhonetadas em várias regiões de Aparecida
Dia da Árvore: desmatamento vem caindo, mas ainda há desafios
Brincar com os quatro elementos da natureza ajuda a criança a se desenvolver melhor
Meninas que praticam esportes, cuidado com a alimentação!
Indústria paulista fecha 2,5 mil postos de trabalho em agosto
Aneel descarta revisão de bandeira tarifária em conta de luz
BNDES: empréstimos para Cuba e Venezuela não deveriam ter sido feitos
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212