Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Organização patronal catalã alerta para risco de insolvência econômica - Jornal Brasil em Folhas
Organização patronal catalã alerta para risco de insolvência econômica


A principal organização patronal da Catalunha, Fomento del Trabajo, alertou, nesta segunda-feira (9), que o caminho tomado pelos dirigentes regionais, com a celebração de um referendo inconstitucional e a possível declaração de independência, poderia levar à insolvência econômica.

O incerto caminho tomado por forças políticas com estreita maioria no Parlamento durante o mês de setembro, superou fronteiras de ilegalidade, levando o país ao descrédito nacional e internacional e, quem sabe, até à insolvência econômica, destacou a entidade em um comunicado.

Nos últimos dias, marcados pela incerteza sobre uma possível declaração de independência do presidente regional Carles Puigdemont, diversas empresas decidiram mudar sua sede social para outras regiões da Espanha.

Entre elas, estão seis das sete empresas catalãs do índice da bolsa espanhola Ibex 35, como as entidades financeiras CaixaBank e Banco Sabadell, a energética Gas Natural e a gestora de rodovias Abertis.

Além disso, segundo a entidade patronal, novos investimentos no setor industrial foram suspensos, as reservas turísticas na região caíram pela metade e diversos cliente de fundos de poupança e de investimento transferiram suas contas para fora da Catalunha.

É um reflexo claro do máximo grau de preocupação com o que se assiste, do âmbito empresarial, a um conflito político muito sério, que nos interpela a agir com responsabilidade e rigor, alertou o Fomento del Trabajo, que fez uma reunião extraordinária de seu comitê executivo.

Por isso, pediram para Puigdemont não avançar nem um passo mais no incerto caminho iniciado no Parlamento porque teria consequências irreparáveis para a Catalunha e a Espanha.

O presidente catalão deve comparecer nesta terça-feira na Câmara regional pela primeira vez desde a celebração do referendo proibido de 1 de outubro que, segundo seu governo, os separatista ganharam com 90% dos votos e com participação de 43%, em meio a forte intervenção policial.

Com esses resultados, Puigdemont e seus aliados separatistas se comprometeram a declarar a separação da região, mas estão sendo fortemente pressionados para desistir disso.

 

Últimas Notícias

Bolsonaro terá uma série de reuniões na próxima semana em Brasília
Com pênalti controverso, Brasil vence Uruguai por um a zero
Brasil está preparado para substituir médicos cubanos, afirma Temer
Chega a quatro número de vítimas das chuvas em Belo Horizonte
Estudantes poderão renovar o Fies até o dia 23
Massoterapeuta Dani Bumbum deixa prisão no Rio
Cervejas terão rótulos com os ingredientes usados na fabricação
Temporal causa mortes e estragos em BH; adolescente está desaparecida

MAIS NOTICIAS

 

Morre em Pelotas o criador da camisa canarinho, Aldyr Schlee
 
 
Brasil concentrou 40% dos feminicídios da América Latina em 2017
 
 
Jungmann e Toffoli anunciam sistema para unificar processos de presos
 
 
Pensamento liberal deve guiar a equipe econômica de Bolsonaro
 
 
Gold3-4 minutosfajn permanecerá à frente do BC até Senado aprovar Campos Neto
 
 
Senado argentino aprova orçamento de 2019 como prometeu ao FMI

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212