Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


22 de Oct de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Catalunha em meio ao fogo cruzado à espera da declaração de independência - Jornal Brasil em Folhas
Catalunha em meio ao fogo cruzado à espera da declaração de independência


A pior crise política da democracia espanhola enfrenta 24 horas dramáticas nas quais o presidente catalão, Carles Puigdemont, decidirá se cede às ameças e apelações da direita e da esquerda, ou declara independência como exigem os seus aliados.

A última chamada a Puigdemont para que renuncie à proclamação foi feita pela prefeita de Barcelona, Ada Colau, assegurando que isto colocaria em perigo a coesão social.

Os resultados de 1º de outubro não podem ser um aval para proclamar a independência, disse Colau em uma declaração institucional, solicitando ao mesmo tempo ao presidente espanhol, Mariano Rajoy, que não suspenda a autonomia da Catalunha e retire os reforços policiais enviados à região.

O Executivo de Rajoy foi mais além: se Puigdemont seguir em frente terão que tomar medidas, advertiu a vice-presidente do governo espanhol, Soraya Sáenz de Santamaría, em declarações à emissora de rádio COPE.

E pediu aos separatistas que não se joguem no precipício.

Na terça-feira, Puigdemont terá uma primeira oportunidade de proclamar a independência em seu comparecimento no Parlamento regional catalão - às 16h00 GMT (13h00 de Brasília) - após o referendo de autodeterminação proibido de 1º de outubro. Segundo os separatistas, a secessão conquistou 90% dos votos com uma participação de 43%.

Um porta-voz do partido de Rajoy, Pablo Casado, suscitou uma polêmica ao advertir que o presidente catalão poderia acabar como um antecessor que proclamou um Estado catalão em 1934.

Ao declarar um efêmero Estado catalão da república federal da Espanha por 10 horas, o então presidente Lluís Companys foi preso. Em 1940, durante o franquismo, foi fuzilado em Barcelona por militares.

Casado afirmou em referência aos separatistas catalães: a história não deve ser repetida, esperamos que amanhã não declarem nada, porque aquele que o declarar acabará como o que fez há 83 anos.

- A resposta do Estado -

A vice-presidente não quis confirmar se o governo irá aplicar o Artigo 155 da Constituição espanhola, que prevê a suspensão e intervenção do governo regional catalão, mas falou que o Senado deveria ser parte da resposta, e é precisamente a Câmara Alta que deve dar o aval a essa medida.

O líder do primeiro partido da oposição espanhola, o socialista Pedro Sánchez, também pediu a Puigdemont que pare as máquinas.

Tomara que, se estiverem nos vendo, nos escutem, que parem as máquinas e não façam a declaração unilateral de independência, disse Sánchez, assegurando que apoiará a resposta do Estado de Direito.

Nesta segunda-feira, mais três empresas catalãs - a imobiliária Colonial, a operadora de estradas Abertis e sua filial, e a empresa de telecomunicações Cellnex - anunciaram a transferência de sua sede social de Barcelona para Madri, com o qual a região perdeu nos últimos dias seis de suas sete empresas no índice Ibex-35.

O nervosismo de dirigentes espanhóis, empresários e cidadãos cresceu novamente no domingo quando, em uma entrevista com a emissora de televisão pública catalã, Puigdemont deu a entender que se Madri não aceitar uma mediação o seu governo aplicará o mandato que considera ter recebido após o referendo de 1º de outubro.

- Pressão dos aliados -

Abrimos a porta da mediação e dissemos sim a muitas opções de mediação que nos apresentaram (...). Os dias estão passando e se o Estado espanhol não responder afirmativamente nós faremos o que viemos fazer, advertiu Puigdemont.

O Esquerra Republicana de Cataluña (ERC), aliado de Puigdemont na coalizão que governa a região, rejeitou na segunda-feira as ameças do governo.

Nós vamos continuar com este processo, disse o seu porta-voz Sergi Sabrià, embora tenha mantido uma porta aberta ao diálogo.

O mais radical dos sócios de Puigdemont, o partido de extrema esquerda CUP, defendeu uma declaração unilateral de independência.

A única forma de poder assumir um cenário de diálogo e de mediação com o Estado é poder fazê-lo como iguais, (...) fazer emergir um novo Estado que é a República Catalã, disse o seu porta-voz, Benet Salellas.

Uma das grandes organizações separatistas, a Assembleia Nacional da Catalunha, convocou uma manifestação em frente ao Parlamento na terça durante a intervenção de Puigdemont para dar as boas-vindas à nova república.

- Desconfiança e receio -

A crise política criada pela consulta proibida de 1º de outubro e por anos de tensão entre Barcelona e Madri é a pior desde a reinstauração democrática em 1978.

Nela está em jogo o destino de 16% da população e 19% do PIB que a Catalunha conta na Espanha.

Sinal da desconfiança que está se instalando, inclusive nas instituições da Catalunha, o Tribunal Superior de Justiça pediu à polícia nacional, que depende de Madri, que compartilhe as tarefas de segurança com os Mossos dEsquadra, a polícia catalã.

Apesar do auge do separatismo nos últimos anos, os independentistas não conquistaram a maioria absoluta de votos nas eleições regionais de 2015 - que apresentaram como um referendo a favor do projeto soberanista - e em nenhuma das duas consultas de independência, em 2014 e 2017.

Tampouco recebeu o amparo ou apoio de nenhum país da União Europeia.

A chanceler alemã, Angela Merkel, reafirmou o apoio da Alemanha à unidade da Espanha em uma conversa por telefone no sábado com Rajoy, informou nesta segunda-feira um porta-voz do governo.

 

Últimas Notícias

Inscritos no Enem podem checar local de provas a partir de hoje
Após três quedas seguidas, dólar sobe e fecha o dia em R$ 3,72
Renan Filho: acordo para vender a Ceal depende de União quitar débitos
Riqueza das famílias brasileiras encolheu US$ 380 bilhões
Eletrobras deve liquidar Amazonas Energia, caso leilão fracasse
Dólar abre em queda de 0,52%, cotado a R$ 3,7028
Empresários da indústria estão mais confiantes, diz CNI
Preço da gasolina cai 2% nas refinarias a partir de amanhã

MAIS NOTICIAS

 

Equipe de transição deve ser definida hoje à tarde, diz Caiado
 
 
ONS vai reforçar ações de segurança energética nas eleições e no Enem
 
 
Inflação medida pelo INPC sobe para 0,30% em setembro
 
 
Universidades particulares terão disciplina sobre primeira infância
 
 
Com Enem, horário de verão começa no dia 18 de novembro
 
 
Governo anuncia recursos de R$ 600 milhões para o ensino médio

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212