Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


23 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 De Guindos: bancos que saírem da Catalunha continuarão sob guarda-chuva do BCE - Jornal Brasil em Folhas
De Guindos: bancos que saírem da Catalunha continuarão sob guarda-chuva do BCE


O ministro espanhol da Economia, Luis de Guindos, garantiu, nesta segunda-feira (9), que os clientes dos bancos que decidiram migrar sua sede social para fora da Catalunha podem ficar tranquilos, pois as instituições continuarão sob o guarda-chuva do Banco Central Europeu (BCE).

São bancos que sempre vão estar no guarda-chuva do BCE e, evidentemente, isso é muito, muito, muito importante, dadas as circunstâncias atuais, afirmou De Guindos, chegando a uma reunião de ministros das Finanças da zona do euro em Luxemburgo.

Após o referendo de autodeterminação celebrado na Catalunha em 1º de outubro, apesar da proibição da Justiça e com uma declaração de independência no horizonte, grandes bancos catalães, como CaixaBank, ou Sabadell, anunciaram a mudança de suas sedes sociais para outras regiões.

De acordo com De Guindos, essas decisões tomadas livremente não se devem à possibilidade de independência que, a seu ver, não vai acontecer, mas a uma política irracional, radical e que leva a um empobrecimento da Catalunha por parte do governo regional.

O ministro reconheceu que a situação da Catalunha é um elemento de incerteza, um foco de preocupação para a Espanha, apesar de ter reiterado que a economia espanhola vai crescer mais de 3% em 2017.

De Guindos deu essas declarações antes de uma reunião do Eurogrupo e em meio a incertezas, na véspera do discurso do presidente catalão, o separatista Carles Pigdemont, no Parlamento regional, nesta terça-feira.

Chegando à reunião, o comissário europeu de Assuntos Econômicos, Pierre Moscovici, pediu diálogo para que a Espanha chegue a uma solução, destacando o respeito à ordem legal no país, onde o Tribunal Constitucional suspendeu o referendo.

Todo político legitimado democraticamente está vinculado pelos fundamentos do Direito e da Constituição, indicou o influente ministro alemão Wolfgang Schäuble, para quem isso é verdade na Alemanha, na Europa e, provavelmente, na Espanha.

O presidente do Eurogrupo, o holandês Jeroen Dijsselbloem, descartou se pronunciar, garantindo que se trata de um assunto interno da Espanha. Essa também é a opinião do ministro belga das Finanças, Johan van Overtveldt.

 

Últimas Notícias

Varejo perde R$ 19,5 bilhões em 2017 por danos em produtos e furtos
A partir deste sábado, candidatos só podem ser presos em flagrante
Brasileiros não se sentem prontos para lidar com a morte, diz pesquisa
Aos 95 anos, Gervásio Baptista recebe Medalha do Mérito Jornalístico
PF combate grupo criminoso responsável por contrabando de cigarros
Primavera começa hoje com possibilidade de novo episódio do El Niño
Facebook anuncia medidas para combater contas falsas e desinformação
Polícia Militar faz operação na Rocinha

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212