Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


14 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Venezuela: principais partidos opositores vão boicotar eleições municipais - Jornal Brasil em Folhas
Venezuela: principais partidos opositores vão boicotar eleições municipais


Os três principais partidos da coalizão opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD) decidiram se abster de participar das eleições municipais de dezembro na Venezuela por considerar que não existem condições para um processo livre e transparente, anunciaram nesta segunda-feira seus dirigentes.

Só com votos as ditaduras saem... (Mas) para estas eleições municipais a participação não é viável, disse Henry Ramos Allup, da Ação Democrática (AD), somando-se à posição manifestada pouco antes pelos partidos Vontade Popular e Primeiro Justiça.

Esse partido, que dominou a política venezuelana até a chegada de Hugo Chávez ao poder em 1999, somou-se à postura manifestada pouco antes pelos partidos Vontade Popular, liderado por Leopoldo López - que está em prisão domiciliar -, e Primeiro Justiça, do ex-candidato presidencial Henrique Capriles.

Não vamos participar das municipais. Daremos a luta pelas garantias para eleger livremente um novo governo. O objetivo segue sendo tirar Nicolás Maduro do poder, afirmou Julio Borges, fundador do Primeiro Justiça e presidente do Parlamento de maioria opositora.

Em nome do Vontade Popular, seu porta-voz, o deputado Freddy Guevara, declarou que não existem condições eleitorais, nem políticas para disputar as municipais. Às vezes é preciso sacrificar um peão para poder pegar a rainha, explicou.

Os três partidos asseguraram ter tomado esta decisão para se concentrar em buscar melhores condições eleitorais para as presidenciais de 2018, após assegurarem que nas eleições de governadores de 15 de outubro houve um processo fraudulento.

Qualificada pela oposição como uma convocação express, a governista Assembleia Constituinte anunciou nesta quinta-feira a realização de eleições municipais para dezembro - sem data prevista - e no dia seguinte o poder eleitoral proclamou para a segunda-feira a inscrição de candidaturas.

Segundo analistas, a situação busca aproveitar o mau momento que a oposição vive após as regionais, onde só elegeu cinco contra 18 governadores.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212