Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


12 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Uhuru Kenyatta vence presidenciais no Quênia com 98,2% dos votos - Jornal Brasil em Folhas
Uhuru Kenyatta vence presidenciais no Quênia com 98,2% dos votos


O presidente queniano em fim de mandato, Uhuru Kenyatta, venceu a eleição presidencial de 26 de outubro com 98,26% dos votos, em uma consulta boicotada por seu principal opositor, Raila Odinga - anunciou a Comissão Eleitoral (IEBC) nesta segunda-feira (30).

Kenyatta recebeu 7,483 milhões de votos contra 73.228 para Odinga. A participação foi de 38,8%, uma forte queda em relação às eleições de 8 de agosto (79%), anulada pela Suprema Corte por irregularidades, informou a IEBC.

Essa vitória confirma novamente a vontade do povo, declarou Kenyatta após a divulgação dos resultados. Nas últimas eleições anuladas em agosto, Kenyatta recebeu 54,27% dos votos, contra 44,74% de Odinga.

Kenyatta, de 56, já fez seu primeiro pronunciamento, após a confirmação oficial de sua vitória.

Não é nada mais do que uma nova confirmação da vontade do povo, afirmou o presidente agora reeleito.

Ele disse esperar que o resultado seja novamente contestado na Justiça, mas prometeu respeitar o quadro legal.

Antes de divulgar os resultados condado por condado, o presidente da IEBC, Wafula Chebukati, considerou que essas novas eleições foram livres, equitativas e confiáveis.

A Comissão decidiu proclamar a vitória de Kenyatta, apesar de o pleito não ter podido ser realizado em quatro condados do oeste do país, favoráveis à oposição. A IEBC alegou, porém, que mesmo que tivessem sido realizadas eleições nesses condados, o resultado global não seria modificado.

País dinâmico e primeira economia comercial no leste da África, com 48 milhões de habitantes, o Quênia está mergulhado em sua pior crise política em dez anos, desde que a Suprema Corte invalidou a disputa de 8 de agosto.

As eleições foram invalidadas após as denúncias por parte de Odinga sobre irregularidades no processo. O Supremo responsabilizou a Comissão Eleitoral por realizar eleições que não foram transparentes.

Odinga, de 72 anos e candidato à Presidência em 1997, 2007 e 2013, pressionou para obter uma reforma da Comissão, mas a oposição considerou as mudanças insuficientes.

Pelo menos 49 pessoas morreram desde a anulação do pleito em agosto. A maioria das vítimas era da oposição e vivia em comunidades pobres de Kawangware, Kibera e Mathare, em Nairóbi, ou em cidades do oeste, redutos eleitorais de Raila Odinga.

A situação reaviva a lembrança da violência deflagrada depois da eleição presidencial de 2007, que levou à pior violência política e étnica desde a independência do país, em 1963. Pelo menos 1.100 pessoas morreram na época.

Desde que o Quênia se tornou independente, três dos quatro presidentes pertenciam à etnia kikuyu, que também domina a economia nacional.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212