Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Novo estudo permite identificar pessoas com pensamentos suicidas - Jornal Brasil em Folhas
Novo estudo permite identificar pessoas com pensamentos suicidas


Uma equipe de pesquisadores desenvolveu um método inovador que permite identificar pessoas com pensamentos suicidas, analisando alterações produzidas no cérebro quando elas representam certos conceitos, informou a revista Nature.

A pesquisa foi liderada pelos especialistas Marcel Just, da Universidade Carnegie Mellon, e David Brent, da Universidade de Pittsburgh, ambos nos Estados Unidos, que estudaram como o cérebro representava conceitos como a morte, a crueldade e os problemas.

A Nature alerta que o suicídio é a segunda causa de morte entre os adultos jovens nos Estados Unidos e que o estudo oferece um novo foco para poder avaliar a desordem psiquiátrica.

Nosso último trabalho é único, pois identifica as alterações de conceitos que estão associados ao suicídio e ao comportamento, empregando algoritmos com os quais podemos avaliar as representações neurais de conceitos específicos relacionados com o suicídio, explicou Just.

Obtivemos uma janela para o cérebro e para a mente, jogando luz sobre como as pessoas com pensamentos suicidas pensam sobre conceitos relacionados com o suicídio e as emoções, completou.

O que é central nesse novo estudo é que podemos dizer se alguém está pensando em se suicidar pela maneira como pensa sobre esses assuntos relacionados com a morte, explicou Just.

Para chegar à descoberta, os pesquisadores apresentaram uma lista de dez palavras relacionadas com a morte, outras dez com conceitos positivos e outras com ideias negativas a dois grupos. Um deles com 17 pessoas com conhecidas tendências suicidas e outro formado por 17 pessoas sem essa tendência.

Eles explicaram o algoritmo a seis conceitos que discriminavam os dois grupos. Além disso, os participantes pensavam sobre cada uma delas enquanto estavam conectados a um scanner cerebral.

O programa pode identificar com 91% de precisão se um participante pertencia ao grupo de indivíduos com tendências suicidas.

Os especialista também fizeram um experimento similar para determinar se o algoritmo poderia detectar separar aqueles que tinham tentado suicídio. O programa teve 94% de precisão.

Mais exames sobre essa abordagem com uma maior representação determinarão a habilidade (do algoritmo) de prever um futuro comportamento suicida, indicou Brent.

Isso poderia dar aos médicos, no futuro, uma maneira de identificar, supervisionar e, talvez, intervir nesse pensamento alterado e distorcido que caracteriza as pessoas suicidas, completou o cientista.

 

Últimas Notícias

Submarino argentino é encontrado um ano e um dia após desaparecimento
Parlamento cubano rejeita resolução da Eurocâmara sobre direitos human
Incêndio da Califórnia registra 74 mortos e mais de mil desaparecidos
Livro mistura suspense e fantasia em reflexão sobre violência no país
EBC e Fundação Getulio Vargas firmam acordo para revitalizar acervo
Trabalho de escoramento em viaduto paulistano prossegue neste sábado
Belo Horizonte tem previsão de mais chuva; temporais já mataram quatro
Prefeito de Mariana diz que não desistirá de ação no Reino Unido

MAIS NOTICIAS

 

Morre em Pelotas o criador da camisa canarinho, Aldyr Schlee
 
 
Brasil concentrou 40% dos feminicídios da América Latina em 2017
 
 
Jungmann e Toffoli anunciam sistema para unificar processos de presos
 
 
Pensamento liberal deve guiar a equipe econômica de Bolsonaro
 
 
Gold3-4 minutosfajn permanecerá à frente do BC até Senado aprovar Campos Neto
 
 
Senado argentino aprova orçamento de 2019 como prometeu ao FMI

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212