Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 ONU faz apelo por desarmamento de rebeldes na República Centro-Africana - Jornal Brasil em Folhas
ONU faz apelo por desarmamento de rebeldes na República Centro-Africana


O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, finalizou sua visita de três dias à República Centro-Africana, onde reivindicou aos grupos rebeldes que promovem o conflito armado no país que abandonem as armas e busquem soluções políticas.

Em discurso feito ontem (27) à noite antes de deixar a República Centro-Africana, Guterres pediu às 14 organizações armadas que existem no país que participem da vida política e se unam ao processo de paz proposto pelo governo.

A violência e os abusos das vítimas não são o caminho para conseguir sua integração pacífica na comunidade nacional, ressaltou o secretário-geral da ONU.

Para conseguir o avanço do processo de paz, Guterres reivindicou a mobilização da comunidade internacional para colaborar com a missão da ONU na República Centro-Africana (Minusca) no desenvolvimento do Exército e da polícia no país.

Não podemos abandonar os centro-africanos. Todos devemos mobilizar-nos para ajudá-los a construir o futuro que merecem, que lhes deve ser garantido, acrescentou Guterres.

Antes de chegar à República Centro-Africana, Guterres destacou o momento-chave em que se encontra o país e pediu que se aumente em 900 unidades o número de boinas azuis presentes ali, que atualmente está em torno de 12 mil.

Nos três dias de visita, o secretário-geral da ONU prometeu sanções contra a exploração e o abuso sexual cometidos por alguns boinas azuis da Minusca contra a população local e reiterou o compromisso da comunidade internacional com a paz no país.

A República Centro-Africana vive um complicado processo de transição desde que, em 2013, os rebeldes Séléka derrubaram o presidente François Bozizé, o que suscitou uma onda de violência sectária entre muçulmanos e cristãos e causou milhares de mortes.

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212