Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 ONU faz apelo por desarmamento de rebeldes na República Centro-Africana - Jornal Brasil em Folhas
ONU faz apelo por desarmamento de rebeldes na República Centro-Africana


O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, finalizou sua visita de três dias à República Centro-Africana, onde reivindicou aos grupos rebeldes que promovem o conflito armado no país que abandonem as armas e busquem soluções políticas.

Em discurso feito ontem (27) à noite antes de deixar a República Centro-Africana, Guterres pediu às 14 organizações armadas que existem no país que participem da vida política e se unam ao processo de paz proposto pelo governo.

A violência e os abusos das vítimas não são o caminho para conseguir sua integração pacífica na comunidade nacional, ressaltou o secretário-geral da ONU.

Para conseguir o avanço do processo de paz, Guterres reivindicou a mobilização da comunidade internacional para colaborar com a missão da ONU na República Centro-Africana (Minusca) no desenvolvimento do Exército e da polícia no país.

Não podemos abandonar os centro-africanos. Todos devemos mobilizar-nos para ajudá-los a construir o futuro que merecem, que lhes deve ser garantido, acrescentou Guterres.

Antes de chegar à República Centro-Africana, Guterres destacou o momento-chave em que se encontra o país e pediu que se aumente em 900 unidades o número de boinas azuis presentes ali, que atualmente está em torno de 12 mil.

Nos três dias de visita, o secretário-geral da ONU prometeu sanções contra a exploração e o abuso sexual cometidos por alguns boinas azuis da Minusca contra a população local e reiterou o compromisso da comunidade internacional com a paz no país.

A República Centro-Africana vive um complicado processo de transição desde que, em 2013, os rebeldes Séléka derrubaram o presidente François Bozizé, o que suscitou uma onda de violência sectária entre muçulmanos e cristãos e causou milhares de mortes.

 

Últimas Notícias

Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas de celular no ano passado
Petrobras reduz em 3% GLP empresarial nas refinarias
Ministro do STJ nega pedido de prisão domiciliar a João de Deus
Escassez de chuvas leva governo a acionar termelétricas mais caras
Picciani, Paulo Melo e Albertassi serão julgados por Bretas
Suspensa permissão para deputada receber denúncias contra professores
MPT não descarta pedir bloqueio dos bens do Flamengo
Número de mortos identificados em Brumadinho chega a 151

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212