Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


22 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Governador defende mudanças estruturais no cenário nacional em palestra a estudantes de direito em São Paulo - Jornal Brasil em Folhas
Governador defende mudanças estruturais no cenário nacional em palestra a estudantes de direito em São Paulo


Em palestra a estudantes de Direito, dentro das comemorações dos 70 anos da Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), em São Paulo, o governador Marconi Perillo defendeu a redução do número de senadores, deputados federais, estaduais e vereadores. “Há mudanças que são importantes e precisam ser feitas”. Ele defendeu, ainda que ao invés de três senadores por Estado, o Brasil reduza para dois, na Câmara Federal uma redução para dois terços da atual representação, com efeito dominó nas assembleias legislativas e câmaras municipais. “Tem gente que ainda não percebeu no Brasil que as coisas mudaram”, disse Marconi, sobre as novas exigências da sociedade brasileira e a necessidade de cortar despesas.

Marconi argumentou que nações mais desenvolvidas que o Brasil contam com estruturas menores de representação política. Argumentou defendeu que algumas instituições brasileiras passem por um enxugamento, citando a Justiça do Trabalho, que hoje custa R$ 26 bilhões por ano ao contribuinte brasileiro, valor bem inferior à somatória anual de seu contencioso, que é de R$ 11 bilhões.

O governador argumentou também que o Brasil precisa aproveitar a “gordura política” de um presidente recém eleito – por exemplo, em 2018 – para promover “reformas profundas”, como faz o presidente Francês Emmanuel Macron.

Na palestra, Marconi ressaltou a importância da transparência na gestão pública. Citou que Goiás está entre os três estados brasileiros melhores avaliados no cumprimento da Lei de Acesso à Informação (LAI). “Toda vez que se comprar um lápis, um tomógrafo, construir uma estrada, as informações devem estar publicadas, capa a capa, em todos os portais de transparência”, segundo a segundo, para que isso atenda não somente as demandas do Ministério Público e da imprensa, mas principalmente o cidadão comum. “A LAI é algo que veio pra ficar, porque permite que todo mundo acompanhe o que está acontecendo no governo”, afirmou.

O governador abordou um assunto que ele considera um dos grandes problemas atuais da humanidade: o populismo, em todas as suas formas. “O populismo, seja de direita ou de esquerda, não é sensato, é cruel, é covarde”, sublinhou. Para ele, é preciso combater toda e qualquer forma de burocracia, porque isso prejudica a prestação de serviços públicos de qualidade. Sobre as investigações da Lava Jato, Marconi ressaltou que a investigação mudou a forma do brasileiro pensar, “hoje ele está muito mais atento”.

O governador posicionou a favor da regulamentação do financiamento público das campanhas eleitorais, com uma “dura fiscalização” por parte da Justiça Eleitoral: “Eu disse certa vez que, se não houver uma profunda reforma política no Brasil, continuarão a ser eleitos representantes de igrejas, candidato ricos, dirigentes de sindicatos e federações e integrantes de facções criminosas”.

Para Marconi, a reforma política é “a mães de todas as reformas”, capaz de garantir pleitos mais homogêneos e mais honestos. De acordo com ele, é importante a aprovação de cláusulas de barreira para evitar o surgimento de partidos que só se interessam pelo fundo partidário e pelo tempo de televisão. “Com a cláusula de barreira a gente teria moralização em relação ao surgimento de partidos”, afirmou, ressaltando que hoje existem 60 novos partidos na fila de aprovação do TSE. E posicionou-se a favor do fim das coligações proporcionais, com a instituição do voto distrital.

Ao responder aos questionamentos dos estudantes, Marconi defendeu o fortalecimento das instituições, o ativismo em forma de organização da sociedade e o fim de toda e qualquer tipo de malversação do dinheiro público.

O professor Márcio Pestana, que participou do debate com Marconi, elogiou a clarividência do governador em relação a temas da atualidade, no momento em que a sociedade exige um novo comportamento da classe política em relação ao trato da coisa pública e ao tamanho do Estado.

Marconi complementou que, no futuro, o ideal será a instituição de selo de qualidade, que deve valer para a iniciativa privada e para o poder público. Situou que é preciso uma máquina mais enxuta, com o estado terceirizando algumas áreas, mas não abrindo mão da fiscalização. “Nós temos uma saúde em Goiás que compete em condições de qualidade com mais do que a iniciativa privada”, sustentou. “A burrice do atual regime no Brasil é que você premia o bom e o mal”, disse, referindo-se ao desempenho dos servidores públicos.

Por fim, Marconi citou a experiência do Conecta-SUS, implantado em Goiás, e que chamou a atenção de dois ministros de Estado e mais de vinte governadores.

A palestra lotou o Auditório 1 da FAAP. Marconi respondeu a cada uma das perguntas formuladas pelos alunos. Ao final, exortou a juventude a assumir cada vez mais papel de vanguarda no Brasil do futuro. Citou uma frase do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso de que não será suficiente botar corruptos na cadeia, para purgar os erros de condição de economia e da política, sem alguma forma de instituição política ou sem políticos que a manejem.

 

Últimas Notícias

Bolsonaro participa no Chile de Cúpula Presidencial Sul-Americana
Sul e Sudeste se unem e formam consórcio para ações conjuntas
Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
Feiras em São Paulo oferecem oportunidades de intercâmbio no exterior

MAIS NOTICIAS

 

Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
 
 
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
 
 
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
 
 
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
 
 
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
 
 
Conflitos e segurança poderão contar pontos na avaliação de escolas

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212