Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Detenção de general americano em Guantánamo é suspensa - Jornal Brasil em Folhas
Detenção de general americano em Guantánamo é suspensa


Um general americano do Corpo de Marines condenado ao confinamento na base naval de Guantánamo foi libertado provisoriamente nesta sexta-feira, dois dias depois de ser detido por ordem de um juiz militar.

O general de brigada John Baker, que dirige as equipes de defesa dos presos em Guantánamo, foi condenado a passar 21 dias confinado na base militar dos Estados Unidos em Cuba.

Baker se negou a cumprir as exigências de um juiz durante uma audiência no julgamento contra Abdel Rahim Al-Nashiri, acusado de ser o autor intelectual do ataque contra o destróier USS Cole em 2000.

Perto das 13h00 (15h00 de Brasília), o general de brigada John Baker foi informado por carta que a imposição do resto de sua sentença foi adiada até que a autoridade tome uma decisão final sobre o assunto, disse o porta-voz de audiências militares, o capitão Ben Sakrisson.

A decisão de confinar o general foi tomada devido a uma disputa com o juiz militar do caso, o coronel da Força Aérea Vance Spath.

Segundo o jornal Miami Herald, o primeiro a divulgar o caso, os três advogados civis de Al-Nashiri anunciaram sua intenção não defendê-lo mais por razões éticas e porque suspeitavam que a confidencialidade de suas conversas com o acusado não era respeitada.

Baker autorizou a demissão dos três advogados, mas Spath se opôs às renúncias e ordenou seu comparecimento em pessoa ou por teleconferência.

Como o general Baker se negou a chamar os advogados, o juiz o declarou culpado de desacato ao tribunal e o condenou a 21 dias de confinamento, além do pagamento de uma multa de 1.000 dólares.

Michel Paradis, um advogado civil que trabalha para Baker, disse nesta sexta ao Miami Herald que a libertação provisória é um passo positivo, mas o fato de que a sentença seja adiada é preocupante.

A qualquer momento, (as autoridades) podem impor novamente a sentença, disse.

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212