Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Detenção de general americano em Guantánamo é suspensa - Jornal Brasil em Folhas
Detenção de general americano em Guantánamo é suspensa


Um general americano do Corpo de Marines condenado ao confinamento na base naval de Guantánamo foi libertado provisoriamente nesta sexta-feira, dois dias depois de ser detido por ordem de um juiz militar.

O general de brigada John Baker, que dirige as equipes de defesa dos presos em Guantánamo, foi condenado a passar 21 dias confinado na base militar dos Estados Unidos em Cuba.

Baker se negou a cumprir as exigências de um juiz durante uma audiência no julgamento contra Abdel Rahim Al-Nashiri, acusado de ser o autor intelectual do ataque contra o destróier USS Cole em 2000.

Perto das 13h00 (15h00 de Brasília), o general de brigada John Baker foi informado por carta que a imposição do resto de sua sentença foi adiada até que a autoridade tome uma decisão final sobre o assunto, disse o porta-voz de audiências militares, o capitão Ben Sakrisson.

A decisão de confinar o general foi tomada devido a uma disputa com o juiz militar do caso, o coronel da Força Aérea Vance Spath.

Segundo o jornal Miami Herald, o primeiro a divulgar o caso, os três advogados civis de Al-Nashiri anunciaram sua intenção não defendê-lo mais por razões éticas e porque suspeitavam que a confidencialidade de suas conversas com o acusado não era respeitada.

Baker autorizou a demissão dos três advogados, mas Spath se opôs às renúncias e ordenou seu comparecimento em pessoa ou por teleconferência.

Como o general Baker se negou a chamar os advogados, o juiz o declarou culpado de desacato ao tribunal e o condenou a 21 dias de confinamento, além do pagamento de uma multa de 1.000 dólares.

Michel Paradis, um advogado civil que trabalha para Baker, disse nesta sexta ao Miami Herald que a libertação provisória é um passo positivo, mas o fato de que a sentença seja adiada é preocupante.

A qualquer momento, (as autoridades) podem impor novamente a sentença, disse.

 

Últimas Notícias

John Forman recusa cargo no Conselho de Administração da Petrobras
Em visita oficial, Macri é recebido no Planalto por Bolsonaro
Mercado financeiro prevê inflação em 4,02% neste ano
Consultas de CPFs para vendas a prazo no comércio crescem 2,8%
Produção de bicicletas aumenta 15,9% no Brasil
Receita abre consulta a restituição do Imposto de Renda de 2008 a 2018
Ex-comandante da Marinha é indicado para o conselho da Petrobras
Inflação para idosos fecha 2018 em 4,75%, informa FGV

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212