Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


23 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Rio registra 23 estabelecimentos comerciais como patrimônio cultural imaterial - Jornal Brasil em Folhas
Rio registra 23 estabelecimentos comerciais como patrimônio cultural imaterial


Instituições tradicionais do centro do Rio, como a Confeitaria Colombo, A Mala Ingleza, o Rio Scenarium, o Angu do Gomes, o Bar Brasil, a Gráfica Marly, a Tabacaria Africana e a Charutaria Syria, estão entre os 23 estabelecimentos comerciais da região que o prefeito Marcelo Crivella registrou como Patrimônios Culturais de Natureza Imaterial da cidade. Segundo a prefeitura, o decreto publicado hoje (1º) busca requalificar os negócios tradicionais da área do chamado Rio Antigo.

A decisão do prefeito levou em consideração convênio firmado entre o Instituto Rio Patrimônio da Humanidade e o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado do Rio de Janeiro (Sebrae-RJ), que fizeram estudos visando à preservação do comércio do centro da cidade, considerado referência cultural do município.

A lista inclui 21 comércios tradicionais do centro da cidade, um no bairro da Saúde e um na Gamboa, ambos localizados na zona portuária.

Reconhecimento

Para o presidente do Polo Rio Antigo, Carlos Thiago Cesário Alvim, o reconhecimento vem em boa hora porque a associação iniciou há mais de 20 anos a revitalização da região central, que se tornou símbolo da cultura da carioca e berço da boemia, sendo muito procurada por turistas e moradores da cidade.

“Apesar de todas as dificuldades que o empresariado enfrenta, ficamos muito honrados por este reconhecimento, que nos dá fôlego e robustez para continuar lutando pela nossa região e pela nossa cidade. Temos, entre as casas reconhecidas, os fundadores do Polo Novo Rio Antigo, o que faz esse título ainda mais especial para a gente. Esperamos que esse reconhecimento como Patrimônio Cultural traga mais atenção do Poder Público para a região e estimule ainda mais o fluxo de visitantes”, disse Alvim.

A prefeitura advertiu que o estabelecimento que não mantiver as características que o identificaram como representativo de atividade econômica tradicional e notável poderá ter o registro como bem cultural cancelado. Isso poderá acontecer também se o comércio encerrar suas atividades. Nos dois casos, a decisão caberá ao Conselho Municipal de Proteção do Patrimônio Cultural, informou a prefeitura.

 

Últimas Notícias

Chega a 73 o número de mortos em explosão no México; feridos somam 74
Forte terremoto de magnitude 6,7 atinge o Chile
Mais de 150 imigrantes se afogam no Mar Mediterrâneo
Brasil e Europa vão ser interligados por novo cabo submarino
Acordo para mudar nome da Macedônia gera protestos em Atenas
Ghosn está disposto a aceitar qualquer condição para obter fiança
Bombeiros buscam pessoa desaparecida depois de tromba dágua no Rio
Mega-Sena acumula de novo e pode pagar R$ 38 milhões na quarta-feira

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212