Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Cemitérios do Distrito Federal devem receber 800 mil pessoas - Jornal Brasil em Folhas
Cemitérios do Distrito Federal devem receber 800 mil pessoas


Nem a previsão de chuva para esta manhã no Distrito Federal desanimou o brasiliense, que saiu de casa cedo para prestar homenagens aos parentes mortos, no Dia de Finados. Segundo estimativas da Polícia Militar do Distrito Federal, até o meio dia mais de 75 mil pessoas estiveram no Cemitério Campo da Esperança, maior do capital do país. Até o final do dia, a expectativa é de que aproximadamente 250 mil pessoas passem pelo local e 800 mil visitem os seis cemitérios do DF.

O auxiliar administrativo Wagner Ignácio Rabelo foi um dos que aproveitou o tempo nublado e o clima mais ameno para visitar o túmulo da mãe, morta em 2004. Segundo ele, desde a perda da mãe vai ao cemitério prestar homenagens e matar a saudade, pelo menos duas vezes por ano.

“Todo ano eu venho e não apenas hoje. O Dia de Finados é muito importante para mim porque a minha mãe gostava muito de receber visitas o ano todo. Então, por que depois que morre não visitá-la? A nossa família sempre teve o hábito de visitar os amigos, as pessoas queridas nas situações boas, mas também nas ruins”, disse.

Rabelo, no entanto, reclamou das interdições feitas no trânsito próximo ao cemitério e da infraestrutura oferecida pelo local. “Disponibilizaram banheiros, mas não está sendo feita a limpeza, tem água, mas não tem copo. Não está muito legal”.

Hoje, o Cemitério Campo da Esperança, localizado no final da Asa Sul, no Plano Piloto, e os de Taguatinga, Gama, Sobradinho, Planaltina e Brazlândia ampliaram o horário de funcionamento e o acesso será permitido até as 19 horas. Além disso, foi montado um esquema especial de atendimento, com ampliação do número de funcionários.

Se para alguns o Dia de Finados é sinônimo de tristeza e saudade, para outros, é um dia de comemoração. Aos 78 anos, a vendedora Maria Gonçalves Barbosa, logo cedo, atravessava a pé, sozinha, mais de dois quilômetros, em passos lentos e apoiada no seu guarda-chuvas, o percurso final até seu box de flores. Mesmo em tratamento de um câncer, praticamente todos os dias ela vai ao local, que hoje é administrado pelo neto.

Dona de um box localizado próximo ao Campo da Esperança há 46 anos, ela contou à Agência Brasil que, ao lado do dia das mães, finados é o melhor período de vendas. “Finados é melhor ainda porque não tem tabela [de preços]. Já chegamos a faturar até R$ 12 mil em apenas um dia”, disse.

Mas o clima dos demais comerciantes do local é de revolta devido ao crescimento do número de ambulantes. Para a presidente da Associação dos Vendedores de Flor (Assflor), Maria José Barbosa, vários empresários já fecharam as portas deviso à concorrência dos ambulantes, que montam barracas próximo a entrada principal do cemitério. Já os boxes estão instalados a cerca de um quilômetro do local.

“Tem muito tempo que a gente reclama. Eles [ambulante] ficam ali [na entrada do cemitério] não apenas hoje, mas o ano todo. A fiscalização passa e não retira”, reclamou. Segundo ela, a presença dos ambulantes reduziu drasticamente as vendas. “Nós pagamos imposto, taxa do box. Não temos como competir com o preço que os ambulantes fazem”.

De acordo com Maria José, o Dia de Finados, melhor do calendário para o setor, agora tem lucro semelhante aos domingos, em que apenas cinco dos 15 boxes do local ficam abertos, em esquema de plantão. “Estamos sendo prejudicados mesmo”, lamentou.

 

Últimas Notícias

Inep divulga resultado do Enem
Frédéric Lamotte é o novo diretor geral da CA Indosuez Wealth (Miami) e responsável Global da região das Américas
A ACIRLAG chega para impulsionar o setor econômico da região Leste de Aparecida
Inep divulga notas do Enem na sexta-feira
Bolsonaro sanciona Lei do Orçamento 2019 de mais de R$ 3,3 trilhões
Parlamento venezuelano aprova acordo para entrada de ajuda humanitária
Imigrantes hondurenhos sofrem com obstáculos para passagem de caravana
Militares vão atuar de forma mais intensa no Programa Mais Médicos

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212