Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Dez de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Amsterdã e Paris sediarão agências da UE afetadas pelo Brexit - Jornal Brasil em Folhas
Amsterdã e Paris sediarão agências da UE afetadas pelo Brexit


Amsterdã e Paris serão as próximas sedes das agências europeias que devem abandonar Londres por causa do Brexit, depois de vencerem a disputa com outras cidades como Barcelona, cuja derrota gerou uma troca de acusações entre Madri e líderes separatistas catalães.

Um sistema de votação secreto deveria escolher o novo local para a Agência Europeia de Medicamentos (EMA) e para a Autoridade Bancária Europeia (EBA), mas um sorteio entre os finalistas, empatadas em pontos, apontou Amsterdã e Paris como novas sedes, respectivamente.

Paris acolherá a EBA! É o reconhecimento à atratividade e ao compromisso europeu da França, celebrou o presidente francês, Emmanuel Macron.

O primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, comemorou a boa notícia para todos os pacientes na Europa e para a Holanda de que Amsterdã seja a futura sede da agência encarregada de supervisionar desde 1995 os medicamentos de uso humano e animal.

A sorte apontou para a cidade holandesa em vez de Milão. Uma candidatura sólida derrotada unicamente por um sorteio. Que farsa!, tuitou o primeiro-ministro italiano Paolo Gentiloni, cujo executivo teve que desmentir dias atrás que aumentaria suas tropas nos países bálticos, em troca do apoio deles a Milão.

Embora a saída do Reino Unido esteja prevista para 29 de março de 2019, a UE queria estar com tudo pronto para a mudança da EMA e da EBA, uma consequência direta e o primeiro resultado visível do Brexit, segundo a Comissão Europeia.

A escolha das novas sedes, por parte de ministros europeus reunidos em Bruxelas sem participação britânica, testa a unidade do bloco em meio às negociações do Brexit e à pressão do leste.

- Danos diretos do separatismo -

Os países europeus haviam se lançado à disputa por essas agências, diante dos benefícios econômicos associados a tornar-se a nova sede, mas os países do leste europeu, os últimos a serem incorporados ao bloco, reivindicaram seu direito a abrigar algum organismo europeu.

Esperamos que pelo menos uma das agências esteja em um Estado-membro mais recente, disse, em vão, o secretário de Estado tcheco para Assuntos Europeus, Ales Chmelar, cujo país optou por acolher o organismo criado em 2011 e conhecido por seus testes de estresse aos bancos europeus.

Até o momento, as consequências das derrotas foram repassadas para o nível interno, especialmente na Espanha, cuja ministra da Saúde, Dolors Montserrat, estimou que o fracasso de Barcelona talvez seja outro dos danos diretos do separatismo na Catalunha.

Estamos muito decepcionados, disse à imprensa o ministro espanhol de Assuntos Exteriores Alfonso Dastis, que atribuiu o fracasso à incerteza e à insegurança geradas pelo separatismo.

Para o presidente catalão destituído, Carles Puigdemont, a derrota da candidatura da capital catalã é um novo sucesso das ações lançadas pelo governo espanhol após a proclamação unilateral de independência catalã.

A prefeita de Barcelona, Ada Colau, também se manifestou: Barcelona era a melhor candidatura no nível técnico. Nem a declaração unilateral de independência nem o (artigo) 155 (da Constituição espanhola usado por Madri para pôr sob tutela a autonomia catalã) ajudaram.

Com a eliminação de Barcelona, a Espanha, que conta com três agências, fracassa em sua segunda tentativa para atrair a agência comunitária de medicamentos à essa cidade turística, que já havia sido finalista na época em que foi concedida a Londres.

- Fish and chips para a EMA -

Embora o equilíbrio geográfico estivesse entre os critérios definidos pela UE para a mudança de ambas as agências, junto a cinco outros de caráter mais técnico, a Comissão ressaltou como prioridade a manutenção da atividade e dos funcionários.

Os trabalhadores da EMA já haviam expressado em uma pesquisa,cujos detalhes vazaram para a imprensa, sua insatisfação com a possibilidade de que as cidades da ex-órbita soviética se tornassem novas sedes. Apenas 30% de seus quase 900 funcionários estavam dispostos a se mudar para esses lugares.

Finalmente, Amsterdã, uma das preferidas junto a Barcelona, será a nova sede, onde os funcionários poderão continuar comendo fish and chips, um popular prato do Reino Unido feito de peixe e batatas fritas, e disfrutando de uma rainha muito elegante, como prometeu a Holanda no vídeo de apresentação da sua candidatura.

 

Últimas Notícias

Receita paga hoje as restituições do último lote do IRPF 2018
Mercado mantém estimativa de inflação em 3,71% este ano
BC anuncia que atividade econômica cresce 0,02% em outubro
Embraer e Boeing aprovam termos para fusão
Leilão da Ceal é adiado para o dia 28 de dezembro
Tesouro quitou no ano R$ 4,19 bi de estados e municípios inadimplentes
Paulo Guedes diz que pretende cortar até 50% das verbas do Sistema S
Com intervenção do BC, dólar começa semana em queda

MAIS NOTICIAS

 

Paulo Guedes diz que pretende cortar até 50% das verbas do Sistema S
 
 
Documentos de Ghosn são recolhidos de apartamento em Copacabana
 
 
COP24: países definem regras para implementar Acordo de Paris
 
 
Crise na Nicarágua se agrava, diz Comissão de Direitos Humanos da OEA
 
 
Regulamentação do mercado de carbono será decidida somente na COP 25
 
 
Coreia do Norte adverte EUA que sanções podem impedir desnuclearização

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212