Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Operação integrada no Rio decorre de afrontas do crime, diz porta-voz do CML - Jornal Brasil em Folhas
Operação integrada no Rio decorre de afrontas do crime, diz porta-voz do CML


O coronel do Exército Roberto Itamar Plum, porta-voz do Comando Militar do Leste (CML), disse hoje (30) que a operação integrada das Forças Armadas, Polícias Militar e Federal, na Vila Joaniza e na Favela do Barbante (zona norte do Rio), decorre de ações afrontosas da criminalidade. No último fim de semana, criminosos atacaram e destruíram um posto de policiamento na Vila Joaniza.

A operação de hoje é uma decorrência das ações bastante afrontosa feita pela criminalidade nos últimos dias, envolvendo particularmente o policiamento militar da área. Então, a Polícia Militar solicitou o apoio das Forças Armadas para trazer mais segurança e tranquilidade para a população dessa área da Ilha do Governador.

A operação é a 12ª que ocorre com a integração entre as forças estaduais e federais de segurança. As polícias Militar e Federal buscam criminosos, armas e drogas no interior da comunidade, enquanto as Forças Armadas atuam no cerco da área, controlando a circulação de pessoas para impedir fugas e a chegada de reforços para o grupo criminoso.

O trabalho inclui a revista de moradores e motoristas que circulam pelo local, e o porta-voz das Forças Armadas pede que as pessoas colaborem. Esse trabalho de controle de acesso requer essas revistas. É um incomodo, certamente, para as pessoas, mas é importante que a população colabore e realize de boa vontade essas revistas.

Ao menos uma pessoa já teve que ser encaminhada a delegacia para averiguação. Ainda não foram divulgadas mais informações sobre o balanço da operação.

De acordo com a Secretaria Municipal de Educação, três unidades escolares tiveram que ser fechadas na região. Uma escola, uma creche e um espaço de desenvolvimento infantil não abriram hoje, deixando 660 alunos sem aulas. A Secretaria Municipal de Saúde informou que nenhuma unidade teve o funcionamento afetado pela operação.

A operação integrada de hoje dá continuidade às ações iniciadas pela Polícia Militar na última terça-feira (28), na Vila Joaniza. O cerco das ruas em volta da comunidade é feito por 1,5 mil militares e veículos blindados. O perímetro de segurança inclui o controle do espaço aéreo, mas não há impacto nos aeroportos, segundo as Forças Armadas.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212