Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 PF deflagra operação para prender assaltantes de banco em três estados - Jornal Brasil em Folhas
PF deflagra operação para prender assaltantes de banco em três estados


A Polícia Federal deflagrou hoje (30) a operação Miguelito para desarticular quadrilhas especializadas na explosão de agências bancárias no Paraná, em São Paulo e Mato Grosso do Sul.

Os policiais cumprem 10 mandados de prisão preventiva, 5 de prisão temporária, 2 de condução coercitiva e 18 de busca e apreensão, nas cidades de Londrina, Cambé, Arapongas e Curitiba (PR); Sandovalina e Euclides da Cunha Paulista (SP), e Nova Andradina (MS). Os mandados foram expedidos pela Justiça Federal em Maringá.

Segundo as investigações, feitas com o apoio da Secretaria de Segurança Pública do Estado do Paraná, dois grupos são responsáveis por ataques a bancos nas cidades de Marialva, Mandaguaçu, Terra Rica (duas vezes), Porecatu, Itambé e Barbosa Ferraz, no Paraná e Iepê, Pedrinhas Paulista e Cruzália no estado de São Paulo, num total de 20 agências bancárias atingidas nos dois estados. Os assaltantes usavam armas de grosso calibre – em sua maioria fuzis – com a tática de disparar diversas vezes durante os delitos.

Em um dos confrontos com a polícia, em abril deste ano, seis integrantes das quadrilhas foram mortos por policiais federais, depois de explodir agência bancária em Alvorada do Sul, e fugir pelo rio Paranapanema. No episódio foram apreendidos fuzis, pistolas, coletes balísticos, explosivos e valores subtraídos das agências atacadas.

A operação de hoje pode tirar de circulação alguns integrantes que explodiram uma agência bancária em Itambé, e outro grupo, de Curitiba, responsável por ataques a agências bancárias nas cidades de Marialva e Mandaguaçu, ambas no Paraná.

Os integrantes dos grupos vão responder por crimes de organização criminosa, roubo agravado, latrocínio (roubo seguido de morte) em sua forma tentada, porte de arma de fogo de calibre restrito e exposição a perigo mediante explosão. Se condenados poderão ter penas que podem passar dos 30 anos de prisão.

O nome da operação – Miguelito – é referência aos instrumentos compostos de pregos retorcidos e espalhados pelas quadrilhas nas vias de fuga das ações para dificultar perseguições policiais.

 

Últimas Notícias

Governadores do Nordeste fecham agenda única para levar a Bolsonaro
Marcha da Consciência Negra pede democracia, direitos e fim do racismo
Bolsonaro diz que vai seguir normas legais para indicação à PGR
Projeto que flexibiliza Lei da Ficha Limpa é arquivado do Senado
Conselho de Ética da Câmara arquiva representação contra Laerte Bessa
Reunião do Escola sem Partido é novamente suspensa em comissão mista
Eunício e equipe do futuro governo voltam a discutir cessão onerosa
Brasil encerra o ano com vitória sobre Camarões por 1 a 0

MAIS NOTICIAS

 

Grafiteira faz mural de 500 m2 no Rio para homenagear mulheres negras
 
 
Estados poderão decidir se darão aulas a distância no ensino médio
 
 
Estudante poderá escolher área a ser avaliada no segundo dia do Enem
 
 
PF prende suspeitos de ligações com facções criminosas em sete estados
 
 
Bolsonaro confirma Mandetta para a Saúde
 
 
México habilita 26 empresas brasileiras para compra de carne de frango

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212