Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


22 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Portadores de HIV nos EUA passam em média três anos sem ser diagnosticados - Jornal Brasil em Folhas
Portadores de HIV nos EUA passam em média três anos sem ser diagnosticados


As pessoas infectadas com o vírus da imunodeficiência humana (HIV) nos Estados Unidos costumam passar anos sem ser diagnosticadas, três em média, de acordo com dados do governo americano divulgados nesta terça-feira (28).

Isso representa uma pequena melhora em relação ao relatório anterior, de 2011, que descobriu que o tempo médio entre a infecção por HIV e o diagnóstico era de três anos e sete meses, informaram os Centros para o Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA.

Mas especialistas dizem que as pessoas em risco de infecção precisam ser testadas com mais frequência, uma vez que cerca de 40% das novas infecções por HIV têm origem em pessoas que não sabem que são portadoras do vírus.

Se você está em risco de HIV, não adivinhe - faça um teste, disse Jonathan Mermin, diretor do Centro Nacional de Prevenção de HIV/aids, hepatite viral, DSTs e tuberculose dos CDC.

Os benefícios são claros. O diagnóstico oportuno é a prevenção.

Os CDC recomendam que todas as pessoas de entre 13 e 64 anos sejam testadas para o HIV pelo menos uma vez na vida.

Pessoas com maior risco de infecção, incluindo homens gays e bissexuais sexualmente ativos, devem ser testadas pelo menos uma vez por ano, e de preferência a cada três ou seis meses.

Segundo o relatório de Sinais Vitais dos CDC, baseado em dados de 2015, 29% dos homens gays e bissexuais disseram que não fizeram nenhum teste de HIV no último ano, assim como 42% das pessoas que injetam drogas e 59% dos heterossexuais com maior risco de HIV.

Para homens gays e bissexuais, o tempo estimado da infecção pelo HIV até o diagnóstico foi de três anos em média, o que significa que metade foi diagnosticada em menos de três anos e metade foi diagnosticada após mais de três anos.

Um quarto das pessoas diagnosticadas com HIV em 2015 viveram com o vírus por sete ou mais anos sem saber disso, afirmou o relatório.

Para homens heterossexuais, o tempo médio entre a infecção e o diagnóstico foi de cinco anos. Para mulheres heterossexuais e mulheres que injetavam drogas, de 2,5 anos.

No geral, 85% das estimadas 1,1 milhão de pessoas que viviam com HIV em 2014 sabiam de seu estado, disse o relatório.

 

Últimas Notícias

Deputado Marlúcio promove caminhonetadas em várias regiões de Aparecida
Dia da Árvore: desmatamento vem caindo, mas ainda há desafios
Brincar com os quatro elementos da natureza ajuda a criança a se desenvolver melhor
Meninas que praticam esportes, cuidado com a alimentação!
Indústria paulista fecha 2,5 mil postos de trabalho em agosto
Aneel descarta revisão de bandeira tarifária em conta de luz
BNDES: empréstimos para Cuba e Venezuela não deveriam ter sido feitos
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212