Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


23 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Rússia quer alterar envio de ajuda da ONU a zonas opositoras na Síria - Jornal Brasil em Folhas
Rússia quer alterar envio de ajuda da ONU a zonas opositoras na Síria


A Rússia anunciou nesta quarta-feira (29) que tentará alterar a resolução da ONU que permite entregar ajuda humanitária em zonas controladas pela oposição na Síria através das fronteiras com a Turquia e a Jordânia, mas sem a aprovação de Damasco.

O Conselho de Segurança votará a renovação da entrega da ajuda, que vence em 10 de janeiro, mas está em vigor desde 2014 e foi apoiada pela Rússia, grande aliada da Síria.

O embaixador russo Vassily Nebenzia observou, junto ao Conselho, que seu país está preocupado porque a ajuda humanitária está sendo desviada. Este mecanismo não pode se manter como até agora, disse o diplomata, acrescentando que isto socava a soberania da Síria.

Falta ordem na distribuição de assistência humanitária para que não caia nas mãos de terroristas e para que não seja revendida ao povo sírio a preços mais altos.

O chefe da ajuda humanitária da ONU, Mark Lowcock, indicou ao Conselho que a entrega de ajuda através das fronteiras é essencial para salvar vidas e enfatizou que as remessas a zonas controladas pelo governo continuam sendo fortemente restritas.

Em novembro, o governo sírio avalizou apenas quatro comboios que levaram ajuda a pouco menos de 250.000 pessoas, enquanto produtos médicos eram constantemente retirados de caminhões nos pontos de controle dos arredores de Damasco.

Comparativamente, as ajudas chegaram a 800.000 pessoas este mês em zonas controladas pela oposição no nordeste e no sul da Síria, através das passagens fronteiriças com a Turquia e a Jordânia.

Cada caminhão é revisado para assegurar que só contém provisões humanitárias e suas entregas são confirmadas pelos monitores uma vez que chegam aos refúgios na Síria, disse Lowcock.

Suécia e Japão lideram as negociações no Conselho para renovar a resolução que autoriza a entrada da ajuda humanitária.

No sétimo ano de guerra, mais de 13 milhões de pessoas precisam de ajuda humanitária, das quais 420.000 vivem em zonas sitiadas.

 

Últimas Notícias

Chega a 73 o número de mortos em explosão no México; feridos somam 74
Forte terremoto de magnitude 6,7 atinge o Chile
Mais de 150 imigrantes se afogam no Mar Mediterrâneo
Brasil e Europa vão ser interligados por novo cabo submarino
Acordo para mudar nome da Macedônia gera protestos em Atenas
Ghosn está disposto a aceitar qualquer condição para obter fiança
Bombeiros buscam pessoa desaparecida depois de tromba dágua no Rio
Mega-Sena acumula de novo e pode pagar R$ 38 milhões na quarta-feira

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212