Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


13 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Rússia quer alterar envio de ajuda da ONU a zonas opositoras na Síria - Jornal Brasil em Folhas
Rússia quer alterar envio de ajuda da ONU a zonas opositoras na Síria


A Rússia anunciou nesta quarta-feira (29) que tentará alterar a resolução da ONU que permite entregar ajuda humanitária em zonas controladas pela oposição na Síria através das fronteiras com a Turquia e a Jordânia, mas sem a aprovação de Damasco.

O Conselho de Segurança votará a renovação da entrega da ajuda, que vence em 10 de janeiro, mas está em vigor desde 2014 e foi apoiada pela Rússia, grande aliada da Síria.

O embaixador russo Vassily Nebenzia observou, junto ao Conselho, que seu país está preocupado porque a ajuda humanitária está sendo desviada. Este mecanismo não pode se manter como até agora, disse o diplomata, acrescentando que isto socava a soberania da Síria.

Falta ordem na distribuição de assistência humanitária para que não caia nas mãos de terroristas e para que não seja revendida ao povo sírio a preços mais altos.

O chefe da ajuda humanitária da ONU, Mark Lowcock, indicou ao Conselho que a entrega de ajuda através das fronteiras é essencial para salvar vidas e enfatizou que as remessas a zonas controladas pelo governo continuam sendo fortemente restritas.

Em novembro, o governo sírio avalizou apenas quatro comboios que levaram ajuda a pouco menos de 250.000 pessoas, enquanto produtos médicos eram constantemente retirados de caminhões nos pontos de controle dos arredores de Damasco.

Comparativamente, as ajudas chegaram a 800.000 pessoas este mês em zonas controladas pela oposição no nordeste e no sul da Síria, através das passagens fronteiriças com a Turquia e a Jordânia.

Cada caminhão é revisado para assegurar que só contém provisões humanitárias e suas entregas são confirmadas pelos monitores uma vez que chegam aos refúgios na Síria, disse Lowcock.

Suécia e Japão lideram as negociações no Conselho para renovar a resolução que autoriza a entrada da ajuda humanitária.

No sétimo ano de guerra, mais de 13 milhões de pessoas precisam de ajuda humanitária, das quais 420.000 vivem em zonas sitiadas.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212