Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Feb de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Primeiros testes de satélite francês confirmam teoria de Einstein - Jornal Brasil em Folhas
Primeiros testes de satélite francês confirmam teoria de Einstein


Enviado a 710 km da Terra, o Microscope, da agência espacial francesa CNES, está encarregado de testar no vácuo e no espaço a universalidade da queda livre, com o objetivo de obter uma precisão 100 vezes maior da alcançada no nosso planeta

O satélite francês Microscope confirmou a teoria da relatividade geral de Albert Einstein com uma precisão sem igual, revelaram nesta segunda-feira (4) os primeiros resultados desta missão que busca uma eventual falha neste pilar científico.

Por enquanto, o microssatélite, lançado em abril de 2016, não conseguiu por em dúvida a teoria do físico alemão, elaborada há um século.

Enviado a 710 km da Terra, o Microscope, da agência espacial francesa CNES, está encarregado de testar no vácuo e no espaço a universalidade da queda livre, com o objetivo de obter uma precisão 100 vezes maior da alcançada no nosso planeta.

Os primeiros resultados demonstram com uma precisão sem igual, até o 14º decimal, que todos os corpos caem no vácuo com a mesma aceleração, publicaram os cientistas na revista Physical Review Letters.

Einstein fez do princípio de equivalência entre gravitação e aceleração o pilar de sua teoria da relatividade geral. Ele descreveu a gravidade como uma curva espaço-tempo deformada pela matéria.

O objetivo da missão Microscope até o final de 2018 é chegar a uma precisão do 15º decimal.

Em termos de precisão, multiplicamos por 10 a qualidade dos melhores experimentos na Terra, declarou à AFP Pierre-Yves Guidotti, encarregado do projeto.

O microssatélite leva um instrumento com duas massas cilíndricas de composição diferente, uma de platina, outra de titânio. Ambas realizaram até agora o equivalente a uma queda livre de 85 milhões de quilômetros, ou seja, a metade da distância entre a Terra e o sol.

Se o princípio de equivalência for verdadeiro, os dois corpos não devem se mover um com relação ao outro, visto que caem com a mesma aceleração, explicou à AFP o físico Thibault Damour, um dos autores do artigo.

Ao contrário, se se moveram um com relação ao outro, isto implicaria uma violação do princípio da equivalência.

Mas não vimos nada disso, disse Damour.

É uma boa notícia no sentido de que a teoria de Einstein ainda é mais verdadeira do que acreditávamos, afirmou. Embora tivesse sido mais excitante encontrar algo novo, admitiu.

 

Últimas Notícias

Relatora da intervenção no Rio aponta falta de dados no decreto
Quando a coisa fica ruim no Rio, desanda nos outros Estados
Presença do Exército trará algum desconforto, diz porta-voz
Últimos dias de inscrição ao processo seletivo para professor da Rede Itego
Transposição do Capivari garante abastecimento durante a estiagem em Anápolis
Polícia de Inhumas indicia secretário, dois servidores e empresária por fraude em licitação
Lista de devedores contumazes é atualizada pela Sefaz
Lançado o Plano Goiás Seguro para combater o déficit previdenciário

MAIS NOTICIAS

 

Em meio a racionamento, principal reservatório do DF atinge 50% de volume útil
 
 
Temer: governo vai trabalhar para que reduções da gasolina cheguem às bombas
 
 
Moreira pede ao Cade para investigar preços em postos de combustíveis
 
 
Sete escolas de samba abrem desfile hoje em São Paulo
 
 
Identificação e cuidados com a saúde garantem carnaval tranquilo para crianças
 
 
Carnaval no Sambódromo da Marquês de Sapucaí começa hoje no Rio

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212