Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


22 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Taxa de mortalidade dispara entre hospitalizados por opiáceos - Jornal Brasil em Folhas
Taxa de mortalidade dispara entre hospitalizados por opiáceos


Pessoas hospitalizadas pelo uso de opiáceos, incluindo analgésicos prescritos e heroína, estão quatro vezes mais propensas a morrer do que há 15 anos, informou um estudo americano nesta segunda-feira (4).

Pessoas brancas com mais de 50 anos e baixa renda são as mais atingidas por esse aumento, segundo as descobertas publicadas na revista Health Affairs.

Em 2000, menos de meio porcento (0,43%) das internações motivadas por opiáceos resultavam em morte, em comparação com os 2,02% em 2014, de acordo com o estudo, liderado por pesquisadores da Universidade de Harvard.

Mais de 35 mil pessoas morreram por overdose de heroína e opioides sintéticos no ano passado, afirmou o autor principal do estudo, Zirui Song, professor assistente de Política de Cuidados na Escola de Medicina de Harvard.

Com a nação lidando com uma piora na epidemia de opiáceos, as razões para o aumento da mortalidade incluem a crescente potência da heroína e a alta no uso de fentanil, que muitas vezes é letal.

A taxa de hospitalização por opiáceos manteve-se relativamente estável, mas os pacientes estão cada vez mais propensos a serem internados por condições mais mortais, como intoxicação por opioides, ou heroína, segundo o relatório.

Antes de 2000, a maioria das internações por opiáceos era por dependência e abuso de desta substância.

As taxas de mortalidade estão inalteradas entre as pessoas que deram entrada no hospital para tipos de drogas não opiáceas.

Este estudo é o primeiro a se concentrar em pacientes cujo diagnóstico primário estava relacionado a opiáceos.

Também inclui pessoas com seguro público e privado.

Esses resultados estão apenas riscando a superfície do que os profissionais de saúde e formuladores de políticas poderiam usar para ajudar os pacientes e o público, e a imagem que eles pintam é preocupante, disse Song.

À medida que os Estados Unidos combatem a epidemia de opiáceos, os esforços para ajudar os hospitais a responder à crescente gravidade da intoxicação por opiáceos são extremamente necessários, especialmente em populações vulneráveis e com deficiência.

 

Últimas Notícias

Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas de celular no ano passado
Petrobras reduz em 3% GLP empresarial nas refinarias
Ministro do STJ nega pedido de prisão domiciliar a João de Deus
Escassez de chuvas leva governo a acionar termelétricas mais caras
Picciani, Paulo Melo e Albertassi serão julgados por Bretas
Suspensa permissão para deputada receber denúncias contra professores
MPT não descarta pedir bloqueio dos bens do Flamengo
Número de mortos identificados em Brumadinho chega a 151

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212