Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


15 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Termo de ajustamento de conduta da Telefônica pode ficar para o ano que vem - Jornal Brasil em Folhas
Termo de ajustamento de conduta da Telefônica pode ficar para o ano que vem


O termo de ajustamento de conduta (TAC) da Telefônica pode ser adiado para o segundo semestre do ano que vem, inclusive com a aprovação de novos ajustes, disse hoje (7) o presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Juarez Quadros. Firmado com a Anatel em outubro do ano passado e aprovado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) no fim de setembro, o TAC da Telefônica prevê a substituição das multas por investimentos.

Na ocasião, o tribunal determinou prazo de 30 dias para que a Anatel detalhasse as cidades em que devem ser feitos os investimentos.

Ontem (6), o TCU concedeu, a pedido da agência, prazo de 45 dias para que sejam prestados esclarecimentos detalhados sobre o termo. Na decisão, o TCU ainda prazo de 180 dias para que a Anatel detalhe temas genéricos do termo de ajustamento de conduta.

De acordo com Quadros, o prazo de 180 dias foi pedido para o caso de haver necessidade de modificações no TAC, uma vez que o acordo teria que ser revisto pelas instâncias da Anatel.

“Se houver necessidade de modificações tem que voltar ao Conselho [Diretor]. Se isso acontecer, vai à procuradoria federal especializada, cujo prazo normal é de 60 dias. Os conselheiros têm 120 dias para relatar. Por isso, o prazo. Ainda não há conclusão, o que não significa que o processo não possa ser concluído antes dos seis meses”, acrescentou Quadros.

Pelo acordo, a Telefônica converterá os R$ 2,199 bilhões que tem em multas em investimentos de R$ 4,87 bilhões na rede da própria operadora. Uma das exigências é que a Anatel fixe o município e a região onde deverão ser executadas as melhorias.

A medida deve-se ao fato de o TCU considerar que os investimentos se concentravam excessivamente na Região Sudeste, que já é dotada de expressiva infraestrutura de comunicações em comparação com outras regiões do país.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212