Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 General Electric anuncia 12 mil demissões no mundo - Jornal Brasil em Folhas
General Electric anuncia 12 mil demissões no mundo


A General Electric (GE) anunciou, nesta quinta-feira (7), um corte de 12 mil vagas de emprego no setor de energia GE Power. A medida faz parte de um amplo plano de restruturação, com o qual busca economizar, ao todo, 3,5 bilhões de dólares em um ano.

A maioria dos cortes acontecerão fora dos Estados Unidos, indicou o conglomerado industrial americano, sem dar maiores detalhes.

Essa decisão é difícil, mas necessária, para que a GE possa reacionar a desaceleração do mercado de energia, que gera menos volume, tanto em produtos, como em serviços, explicou Russel Stokes, diretor da GE Power.

A GE Power, que não antecipou a queda dos preços na eletricidade no mercado e o colapso dos pedidos de turbinas, quer poupar 1 bilhão de dólares em custos estruturais em 2018.

A filial gerou um volume de negócios de 27 bilhões de dólares no ano passado e empregava, até o começo deste ano, 57 mil pessoas, quase um quinto dos 298 mil funcionários da General Electric no fim de 2016.

Com o fim dos 12 mil postos de trabalho, a GE Power reduzirá sua força de trabalho em 21%.

A empresa americana não está sozinha. Seu maior concorrente, o grupo alemão Siemens, anunciou no mês passado a eliminação de 6.900 empregos, sobretudo no ramo de energia.

Os mercados energéticos tradicionais, como gás e carvão, enfrentam uma desaceleração: os volumes caíram de forma significativa, tanto em produtos, quanto em serviços, especialmente devido à sobrecapacidade, a uma baixa taxa de utilização, ao aumento do número de fechamentos de fábricas termoelétricas e ao desenvolvimento de energias renováveis.

Esses fatores afetaram muito os resultados financeiros da GE, que teve os dividendos de novembro cortados pela metade.

O novo CEO, John Flannery, decidiu centralizar as atividades do grupo em três áreas - aeronáutica, saúde e energia - e vender 20 bilhões de dólares em ativos, inclusive o braço de tradicional de eletricidade, símbolo da empresa desde sua fundação, há 125 anos.

 

Últimas Notícias

Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas de celular no ano passado
Petrobras reduz em 3% GLP empresarial nas refinarias
Ministro do STJ nega pedido de prisão domiciliar a João de Deus
Escassez de chuvas leva governo a acionar termelétricas mais caras
Picciani, Paulo Melo e Albertassi serão julgados por Bretas
Suspensa permissão para deputada receber denúncias contra professores
MPT não descarta pedir bloqueio dos bens do Flamengo
Número de mortos identificados em Brumadinho chega a 151

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212