Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Itália lança programa pioneiro para detectar Alzheimer - Jornal Brasil em Folhas
Itália lança programa pioneiro para detectar Alzheimer


A Itália apresentou um programa pioneiro no mundo para detectar as pessoas com alto risco de desenvolver o mal de Alzheimer, de forma a prevenir os danos cerebrais com novos tratamentos.

O programa, que leva o nome Interceptor, aponta para identificar os benefícios dos novos tratamentos, já que os custos e efeitos colaterais serão consideráveis.

O mal de Alzheimer é um problema mundial que não se consegue resolver. Deve ser administrado com urgência, assegurou a ministra italiana de Saúde, Beatrice Lorenzin.

Na Itália foram registrados um milhão de casos de demência, dos quais 60.000 são devido ao Alzheimer.

As cifras devem aumentar na Europa e nos países desenvolvidos por causa do envelhecimento da população, lembrou a ministra, médica de formação.

A Itália sofre um déficit crônico de nascimentos e é o país com mais idosos da Europa, e o segundo no mundo, atrás do Japão.

Devido aos números preocupantes, o governo decidiu lançar a iniciativa, introduzindo a aplicação de novos remédios antes de 2025, explicou a ministra.

O Interceptor é um programa para uma categoria específica de pessoas, que apresentam problemas cognitivos leves e piora moderada da memória ou da linguagem.

Atualmente há 735.000 pessoas que apresentam esses sintomas na Itália, das quais 50% desenvolverão a doença de Alzheimer, explicou o professor de Neurologia Paolo Maria Rossini, que supervisiona o projeto.

Dar esses remédios a mais de 700.000 pessoas levaria o nosso sistema de saúde à falência, reconheceu o pesquisador.

O Interceptor tem como objetivo identificar as pessoas com alto risco durante o período assintomático.

O Estado italiano se comprometeu a contribuir com 3,5 milhões de euros ao projeto, que irá atender durante 54 semanas 400 pacientes, todos voluntários, que apresentam sintomas leves e com idades compreendidas entre 50 e 85 anos.

Os pacientes serão distribuídos em cinco centros especializados para o diagnóstico do Alzheimer, serão submetidos a uma série de exames (análises biológicas e testes neuropsicológicos), o que permitirá desenvolver o modelo para detectar a doença.

Seremos o primeiro país do mundo a contar com um dispositivo desse tipo antes da introdução do primeiro remédio, advertiu o professor Rossini.

Cerca de 50 medicamente estão sendo experimentados para frear ou impedir a doença cerebral que causa problemas de memória, na forma de pensar e na maneira de se comportar.

Essa grave patologia degenerativa é diagnosticada a cada três segundos no mundo e atualmente é considerada incurável.

 

Últimas Notícias

John Forman recusa cargo no Conselho de Administração da Petrobras
Em visita oficial, Macri é recebido no Planalto por Bolsonaro
Mercado financeiro prevê inflação em 4,02% neste ano
Consultas de CPFs para vendas a prazo no comércio crescem 2,8%
Produção de bicicletas aumenta 15,9% no Brasil
Receita abre consulta a restituição do Imposto de Renda de 2008 a 2018
Ex-comandante da Marinha é indicado para o conselho da Petrobras
Inflação para idosos fecha 2018 em 4,75%, informa FGV

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212