Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Conferência da OMC tem desafio de avançar nas negociações multilaterais - Jornal Brasil em Folhas
Conferência da OMC tem desafio de avançar nas negociações multilaterais


A Organização Mundial do Comércio (OMC) inaugurou neste domingo sua 11ª Conferência Ministerial, na capital argentina Buenos Aires. É a primeira vez que o evento é realizado em um país sul-americano desde a sua criação, em 1995. Nesta edição, é grande a expectativa para impedir a paralisação das negociações multilaterais entre os 164 membros da OMC e garantir a sobrevivência do órgão que regula o comércio internacional.

“A situação e de extrema preocupação”, disse o secretário-geral da OMC, o brasileiro Roberto Azevedo, em entrevista antes do inicio da conferência. “Não vou apontar o dedo [para um país]. O que precisamos é de um esforço coletivo para superar os problemas”, acrescentou.

O maior obstáculo, no momento, são os Estados Unidos, que bloquearam a nomeação de três dos sete juízes do Órgão de Apelação - uma espécie de Corte Suprema do comércio internacional. Já há algum tempo o governo norte-americano vem questionando o mecanismo de solução de controvérsias da OMC, especialmente depois de ter perdido vários processos. Agora, o presidente Donald Trump elevou o tom da crítica e já deixou claro que prefere negociações bilaterais às multilaterais.

Além das questões relativas às negociações, Azevedo também citou como um dos desafios a serem discutidos na conferência o efeito da evolução da tecnologia na produção industrial, que tem levado ao fechamento de fábricas e redução no número de empregos. Para o secretário-geral da OMC, a solução para esse problema não é o protecionismo.

“Na crise de 2008, os países não ergueram barreiras ao comércio como no passado porque a OMC garantia certa estabilidade”, disse Azevedo, referindo-se à Grande Depressão econômica, que teve inicio em 1929 e durou até a Segunda Guerra Mundial. A solução, argumentou, é avançar na abertura de mercado em outros setores como comércio eletrônico, ampliação do financiamento e de medidas para integrar melhor pequenas e médias empresas.

Os presidentes do Brasil, Uruguai e Paraguai viajaram à Argentina para a abertura da conferência da OMC e para um encontro posterior entre os chefes dos quatro países-membros do Mercosul. O bloco regional quer assinar, ainda na próxima semana, um compromisso político com a União Europeia (UE), com a qual está negociando um acordo de livre comércio.

Deportados

Às vésperas do encontro da OMC, a jornalista inglesa Sally Burc e o ativista norueguês Peter Titland denunciaram que foram deportado da Argentina. Ambos fazem parte do grupo de 60 pessoas cujo pedido de credenciamento para a reunião foi negado.

Em entrevista, a ex-chanceler argentina Susana Malcorra, que presidirá a conferência ministerial, negou que o país estivesse querendo limitar a participação de organizações não-governamentais ou da sociedade civil. Ela lembrou que 600 pessoas tiveram seu credenciamento aprovado, número superior ao das 60 vetadas.

 

Últimas Notícias

Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas de celular no ano passado
Petrobras reduz em 3% GLP empresarial nas refinarias
Ministro do STJ nega pedido de prisão domiciliar a João de Deus
Escassez de chuvas leva governo a acionar termelétricas mais caras
Picciani, Paulo Melo e Albertassi serão julgados por Bretas
Suspensa permissão para deputada receber denúncias contra professores
MPT não descarta pedir bloqueio dos bens do Flamengo
Número de mortos identificados em Brumadinho chega a 151

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212