Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


14 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Sanções afetam ajuda à Coreia do Norte, diz Alto Comissariado de DH da ONU - Jornal Brasil em Folhas
Sanções afetam ajuda à Coreia do Norte, diz Alto Comissariado de DH da ONU


O Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos advertiu nesta segunda-feira (11) que as duras sanções impostas contra a Coreia do Norte complicam a chegada de ajuda ao país.

Cerca de 18 dos 25 milhões de norte-coreanos, que representam 70% da população, sofrem com a escassez de alimentos, e 13 milhões sobrevivem graças às agências de ajuda humanitária, convertidas literalmente em um salva-vidas, afirmou Zeid Raad al Hussein ao Conselho de Segurança.

As sanções podem afetar negativamente esta ajuda essencial, explicou durante uma reunião sobre direitos humanos na Coreia do Norte.

As medidas que endureceram o controle sobre as transferências bancárias retardar as operações da ONU, afetando a entrega de comida, kits de higiene pessoal e outro tipo de ajuda humanitária, afirmou.

Al Hussein pediu ao Conselho que avaliem o impacto das sanções sobre os direitos humanos e que tomem medidas para minimizar as consequências.

O Conselho de Segurança adotou no último ano três pacotes de sanções com o objetivo de afetar o programa militar de Pyongyang, depois que o regime de Kim Jong-Un realizou seu sexto teste nuclear e lançou mísseis.

O Alto Comissariado ressaltou que as tensões militares (na região) parecem ter aprofundado as extremamente sérias violações de direitos humanos.

Pyongyang é acusada pela ONU de prisões arbitrárias e de administrar uma rede de prisões em que se recorre à tortura, além de outros tipos de abusos.

O Conselho de Segurança celebrou a reunião depois que a China não conseguiu apoio suficiente para bloqueá-la.

Dez países votaram a favor de debater os direitos humanos na Coreia do Norte, três contra (China, Rússia e Bolívia) e dois se abstiveram (Egito e Etiópia).

É preciso uma maioria de pelo menos nove votos para que se celebre uma reunião. O direito a veto dos cinco membros permanentes não se aplica em uma votação de procedimento.

Estados Unidos, Reino Unido, França, Suécia, Itália, Japão, Senegal, Ucrânia e Uruguai solicitaram a reunião, a quarta desde 2014.

A China, aliado de Pyongyang, tentou todos os anos bloquear a discussão sobre os direitos humanos na Coreia do Norte, argumentando que o Conselho de Direitos Humanos em Genebra é o lugar indicado para discutir essas preocupações, e não no Conselho de Segurança da ONU.

A missão da Coreia do Norte na ONU divulgou um comunicado criticando os Estados Unidos e seus aliados por promoverem a discussão dos inexistentes assuntos de direitos humanos no Conselho de Segurança.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212