Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Vida parou na região birmanesa dos rohinyas, alerta Cruz Vermelha - Jornal Brasil em Folhas
Vida parou na região birmanesa dos rohinyas, alerta Cruz Vermelha


Os muçulmanos rohinyas e os budistas que vivem no estado de Rakhine sentem tanto medo uns dos outros que a vida praticamente parou nesta região do oeste de Mianmar, contou nesta quarta-feira (13) um encarregado da Cruz Vermelha.

Mais de 620.000 pessoas que pertencem a esta minoria muçulmana fugiram para o vizinho Bangladesh, desde o lançamento, no fim de agosto, de uma campanha de repressão do exército birmanês contra os rebeldes rohinyas no norte do estado de Rakhine.

A Cruz Vermelha, atualmente a única organização de ajuda internacional com acesso a esta região, calcula que restem apenas 300.000 rohinyas na região.

Dominik Stillhart, diretor de Operações do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), destacou, no entanto, que esta cifra deveria ser tomada com muita precaução, pois não pôde ser realizado até o momento um censo preciso.

Durante coletiva de imprensa, em Genebra, ao final de uma visita de três dias, Stillhart declarou que a situação no estado de Rakhine parecia ter se estabilizado, apesar de alguns incidentes.

As pessoas continuam fugindo, a um ritmo de 300 pessoas por dia, acrescentou.

Stillhart disse se sentir surpreendido pela pouca gente nas estradas, nos mercados e nos campos.

A vida parou bruscamente (...) Não tem quase ninguém do lado de fora, declarou, destacando que os rohinyas, mas também os budistas nos povoados vizinhos parecem sentir medo.

A ONU acusou as autoridades birmanesas de realizar uma limpeza étnica contra os rohinyas. Sem querer comentar esta acusação, Stillhart declarou que tinha visto pessoalmente vários povoados incendiados.

Igualmente relatou que a região não estava muito familiarizada e que não tinha aparentemente nenhum controle nos deslocamentos da população.

Parece que são os moradores que limitam seus próprios movimentos, afirmou.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212