Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Vida parou na região birmanesa dos rohinyas, alerta Cruz Vermelha - Jornal Brasil em Folhas
Vida parou na região birmanesa dos rohinyas, alerta Cruz Vermelha


Os muçulmanos rohinyas e os budistas que vivem no estado de Rakhine sentem tanto medo uns dos outros que a vida praticamente parou nesta região do oeste de Mianmar, contou nesta quarta-feira (13) um encarregado da Cruz Vermelha.

Mais de 620.000 pessoas que pertencem a esta minoria muçulmana fugiram para o vizinho Bangladesh, desde o lançamento, no fim de agosto, de uma campanha de repressão do exército birmanês contra os rebeldes rohinyas no norte do estado de Rakhine.

A Cruz Vermelha, atualmente a única organização de ajuda internacional com acesso a esta região, calcula que restem apenas 300.000 rohinyas na região.

Dominik Stillhart, diretor de Operações do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), destacou, no entanto, que esta cifra deveria ser tomada com muita precaução, pois não pôde ser realizado até o momento um censo preciso.

Durante coletiva de imprensa, em Genebra, ao final de uma visita de três dias, Stillhart declarou que a situação no estado de Rakhine parecia ter se estabilizado, apesar de alguns incidentes.

As pessoas continuam fugindo, a um ritmo de 300 pessoas por dia, acrescentou.

Stillhart disse se sentir surpreendido pela pouca gente nas estradas, nos mercados e nos campos.

A vida parou bruscamente (...) Não tem quase ninguém do lado de fora, declarou, destacando que os rohinyas, mas também os budistas nos povoados vizinhos parecem sentir medo.

A ONU acusou as autoridades birmanesas de realizar uma limpeza étnica contra os rohinyas. Sem querer comentar esta acusação, Stillhart declarou que tinha visto pessoalmente vários povoados incendiados.

Igualmente relatou que a região não estava muito familiarizada e que não tinha aparentemente nenhum controle nos deslocamentos da população.

Parece que são os moradores que limitam seus próprios movimentos, afirmou.

 

Últimas Notícias

Atos em Brasília marcam os 50 anos da Receita Federal
Temer pede que brasileiros reflitam sobre questão racial
Grafiteira faz mural de 500 m2 no Rio para homenagear mulheres negras
Dia da Consciência Negra é comemorado no Rio com homenagem a Zumbi
Estados poderão decidir se darão aulas a distância no ensino médio
Moro escolhe delegados da Lava Jato para PF e departamento do MJ
Estudante poderá escolher área a ser avaliada no segundo dia do Enem
PF prende suspeitos de ligações com facções criminosas em sete estados

MAIS NOTICIAS

 

Estimativa do mercado para inflação cai pela quarta vez seguida
 
 
Autoridades de Cuba anunciam retorno de médicos antes do fim do ano
 
 
Guatemala monitora atividades de vulcão que pode ter novas erupções
 
 
Ex-CEO da Nissan é preso no Japão suspeito de reduzir próprio lucro
 
 
Governador eleito do Rio promete nova concessão para o Maracanã
 
 
Relatório alerta que há 45 barragens sob ameaça de desabamento

 


 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212