Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Da Bélgica ou da prisão, separatistas fazem campanha atípica na Catalunha - Jornal Brasil em Folhas
Da Bélgica ou da prisão, separatistas fazem campanha atípica na Catalunha


Um candidato faz discursos por videoconferência, outro manda cartas da prisão. Assim vive o separatismo catalão nesta campanha completamente atípica para as eleições regionais de 21 de dezembro.

Carles Puigdemont e Oriol Junqueras, presidente e vice-presidente do governo catalão, embargado por Madri, foram forçados a pensar em alternativas à campanha eleitoral tradicional a partir destes locais, de onde disputam a presidência da região, mas com possibilidades escassas, dada sua situação judicial.

O primeiro, na Bélgica, será detido se voltar à Espanha, e o segundo já está preso. Em ambos os casos, eles são acusados de rebelião, sedição e malversação por impulsionar o processo de separação que culminou na frustrada proclamação de uma república independente.

- Tribunais e tuítes -

Depois que Madri assumiu a tutela da autonomia catalã, Puigdemont decidiu ir, no fim de outubro, à Bélgica, país conhecido por receber diversas personalidades em exílio, a fim de demostrar que na Espanha estão submetidos a um julgamento político.

A estratégia de pôr o foco na cena internacional finalmente foi útil, escreveu exultante de Bruxelas, um dia após a Justiça espanhola retirar a ordem europeia de extradição contra ele e quatro ex-conselheiros de seu governo.

Reivindicando ser presidente legítimo dos catalães, o candidato do Juntos por Cataluña, uma coligação de membros do seu partido PDeCAT com separatistas, começou seu retorno ao cenário eleitoral, se reaproximando dos ex-parceiros do ERC.

Nós votamos ERC, mas nosso presidente é o Puigdemont, disse Eli Baró, de 40 anos, procedente de Pineda de Mar, na manifestação que reuniu 45.000 separatistas em Bruxelas em 7 de dezembro.

Puigdemont participa das disputas da campanha por videoconferência, com tuítes diários e algumas entrevistas à mídia catalã.

- Cartas e ligações -

A situação da ERC é pior, com Junqueras preso desde 2 de novembro. Nossa capacidade de influência dos cidadãos é muito reduzida. Não podemos ir a debates, nem dar entrevistas, nem ir a programas de televisão, lamenta seu braço direito, Raül Murcia.

A principal participação do candidato é escrever artigos da cela, que envia por carta a seus assessores. Mas é esmagadoramente complicado fazer campanha, admite Murcia.

A coordenação é difícil, já que, da prisão de Estremera, perto de Madri, ele só pode fazer dez ligações por semana, de cinco minutos cada. Destas, oito são para sua mulher e uma para mim, explica.

Murcia diz que anota rapidamente o que ele diz e passa as instruções à número dois do partido, Marta Rovira, que assumiu o pesa de fazer campanha na ausência do principal candidato da legenda.

O ERC começou a campanha liderando as pesquisas, que agora indicam um empate com o partido Ciudadanos, dirigido pela líder da oposição Inés Arrimadas, que pode se beneficiar de uma disputa entre os separatistas.

- Briga por votos -

Os dois partidos independentistas competem pelo mesmo grupo de votos, e o pacto de não agressão, firmado no início da campanha, já se evaporou, com ataques diretos entre os candidatos.

Carles Mundó, membro do governo embargado e preso até semana passada, recentemente descartou que Puigdemont poderia voltar à presidência, qualificando a candidatura, em uma reunião do ERC, como um simples desejo de voltar a ocupar cargos.

Achar que pode haver outro presidente é aceitar que Rajoy pode mudar o presidente, respondeu pouco depois que o ex-porta-voz do governo Jordi Turull.

 

Últimas Notícias

Centro está preparado para lançamento de foguete após acidente
Cidades brasileiras integram programa de preservação de florestas
MP denuncia ex-marido de corretora assassinada no Rio
Bolsonaro segue estável e internado no Hospital Albert Einstein
Goiás entra para a elite dos Estados mais competitivos do País
Petrobras eleva gasolina em 2 centavos; diesel permanece inalterado
MME faz consulta sobre planejamento da transmissão de energia elétrica
Inadimplência do consumidor subiu 3,63% em agosto

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212