Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Chile vai às urnas em um segundo turno de resultado incerto - Jornal Brasil em Folhas
Chile vai às urnas em um segundo turno de resultado incerto


O ex-presidente de direita Sebastián Piñera e o candidato de centro-esquerda Alejandro Guillier disputam neste domingo a presidência do Chile, em um segundo turno de difícil previsão para definir o sucessor de Michelle Bachelet.

A dispersão do voto no primeiro turno de 19 de novembro, quando o partido de esquerda radical Frente Ampla surpreendeu e virou a terceira força política do país, dificulta a vitória de Piñera e transforma numa incógnita o resultado de Guillier.

O ex-presidente, que governou o Chile de 2010 a 2014, conseguiu 36,6% dos votos (muito abaixo do esperado), contra 22% do senador Guillier e 20% da candidata da esquerda radical, Beatriz Sánchez.

Provavelmente, a eleição será definida por menos de 200.000 votos de diferença, prevê o analistas político da Universidade de Santiago, Marcelo Mella.

O resultado dependerá, sobretudo, do que decidirem os eleitores da Frente Ampla, que deu liberdade de decisão a seus seguidores, apesar de Sánchez ter anunciado que votará em Guillier.

O fantasma da derrota começou a rondar a coalizão de direita de Piñera ante a possibilidade de uma união de todas as forças centro-esquerda - que disputou o primeiro turno fragmentada em seis candidaturas - e que juntas somariam 55% dos votos para Guillier.

Piñera prometeu na quinta-feira, em seu último comício, ser o governante da unidade.

Vou ser o presidente da unidade, da mudança, do progresso, do futuro e da esperança, disse Piñera.

Afirmou ainda que os chilenos querem mudanças profundas, mas bem feitas, baseadas no diálogo e não no confronto.

O ex-presidente, que encerrou a campanha em um teatro no centro de Santiago, diante de cerca de 3 mil pessoas, recebeu o apoio de vários ex-mandatários, como o espanhol José María Aznar, os colombianos Andrés Pastrana e Álvaro Uribe, e o mexicano Felipe Calderón.

Piñera pediu o voto dos menos favorecidos e da classe média para colocar em marcha seu lema de campanha: Tempos melhores, com mais empregos, salários e melhores aposentadorias, além do combate ao crime e a promoção da saúde para todos.

Se sente, se sente, Piñera presidente, gritava o público, majoritariamente feminino, procedente de muitos bairros periféricos de Santiago.

Se vencer, Piñera será o único político de direita a governar o Chile em duas ocasiões, ao final de um longo caminho que sempre trilhou junto ao manejo de seus negócios, que o levaram a ter hoje uma fortuna avaliada em 2,7 bilhões de dólares, segundo a revista Forbes.

Já Alejandro Guillier encerrou sua campanha com um comício em Santiago, ao lado do ex-presidente uruguaio Pepe Mujica.

Com o Palácio de la Moneda como pano de fundo, Guillier discursou para cerca de 5 mil pessoas.

A história me colocou em um lugar que não procurei, mas aceito este desafio. Quero ser presidente do Chile, afirmou Guillier para seus partidários.

Guillier recebeu o apoio de Mujica, o ex-guerrilheiro que governou o Uruguai entre 2010 e 2015, que participou de distintas atividades com o candidato governista.

O ex-presidente Piñera sempre falou muito bem do Uruguai e reconheço isto, mas estou com o mundo progressista, declarou Mujica, 82 anos, em referência ao candidato da oposição.

A presença de Pepe Mujica é uma lição de humildade, de onde queremos ir. Sua presença nos vitaliza e nos ajuda a unir os progressistas.

Michelle Bachelet começou o caminho e precisamos consolidar este caminho, avançar em novos temas, em novos desafios.

Guillier acusou Piñera de ser o retrocesso para o Chile ao beneficiar as elites chilenas.

Este domingo podemos dizer ao senhor Sebastián Piñera que ele representa o passado, tudo o que queremos deixar para trás.

Guillier foi durante três décadas repórter, editor chefe e apresentador dos principais telejornais do país, que o tornaram um dos jornalistas de maior credibilidade do Chile.

Neste domingo, 13,4 milhões de chilenos estão convocados a votar para definir o sucessor da socialista Michelle Bachelet a partir de 11 de março de 2018.

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212