Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Congresso do Equador aprova julgamento de impeachment de vice-presidente por caso Odebrecht - Jornal Brasil em Folhas
Congresso do Equador aprova julgamento de impeachment de vice-presidente por caso Odebrecht


O Congresso do Equador aceitou, neste domingo (17), abrir o julgamento do impeachment do vice-presidente, Jorge Glas, condenado em primeira instância à prisão por receber propinas da construtora brasileira Odebrecht, aproximando-se da destituição do cargo.

Com quatro votos dos sete integrantes, o Conselho de Administração Legislativa (CAL) - órgão mais alto no Congresso, encarregado de planejar suas atividades - aprovou o processo, que agora será encaminhado à Corte Constitucional. O tribunal tem um prazo de cinco dias para informar se admite ou não o processo de impeachment.

Caso a decisão da Corte seja favorável, o trâmite vai passar à comissão de fiscalização da Assembleia Nacional. Ela também precisa aprovar que a votação seja levada ao plenário.

Glas, que mantém o cargo apesar de estar preso acusado de associação ilícita, poderia perdê-lo se dois terços dos políticos votarem por sua destituição.

O vice-presidente, preso desde 2 de outubro, também pode perder o cargo - para o qual foi reeleito há oito meses em chapa com Lenín Moreno - se for registrada a sua ausência definitiva do posto.

Apesar de afirmar que está fazendo uso de suas férias, o que o governo nega, em 2 de janeiro Glas completa três meses afastado do cargo. Assim, o Congresso pode eleger um vice-presidente de uma lista proposta por Moreno, segundo a Constituição

O julgamento do impeachment contra Glas acontece na mesma semana em que, no Peru, a oposição parlamentar prepara um processo para destituir, por incapacidade moral, o presidente Pedro Pablo Kuczynski, também acusado receber pagamentos da Odebrecht.

Glas foi condenado em primeira instância na quarta-feira a seis anos de prisão, por ter recebido propinas milionárias da Odebrecht. A condenação lhe torna o funcionário ativo de mais alto escalão na América Latina a ser sancionado pelo escândalo de corrupção da multinacional brasileira.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212