Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


22 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Carne Fraca foi positiva para o país por permitir aperfeiçoamentos, diz Maggi - Jornal Brasil em Folhas
Carne Fraca foi positiva para o país por permitir aperfeiçoamentos, diz Maggi


Ao ser deflagrada em março deste ano, a Operação Carne Fraca representou um grande susto para o governo e para os produtores brasileiros. Passados nove meses, o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, afirma que, no frigir dos ovos, o caso foi “positivo”, pois representou uma oportunidade de o país aperfeiçoar processos e procedimentos que, até então, eram politicamente difíceis de ser revistos.

Segundo o ministro, o setor encerrará o ano “com volumes maiores” tanto no âmbito financeiro como no de exportação.

“A Carne Fraca foi positiva para o Brasil. As crises [decorrentes dessa operação] geraram oportunidades e, para o Ministério da Agricultura, foi criada uma oportunidade de mudar processos e coisas que, politicamente, às vezes não conseguia fazer. Com a crise, com o susto e com o medo, que todos nós tivemos, foi possível avançar”, disse nesta terça-feira (19) o ministro, após participar de uma cerimônia de entregas de medalha e de criação de um conselho consultivo de ex-ministros da pasta – grupo instituído com o objetivo de ajudar na formulação de políticas públicas da pasta.

Maggi, no entanto, avalia 2017 como um ano difícil. “Foi um ano de muitas incertezas. Em determinados momentos, como a gente fala na gíria rural, achávamos que a vaca tinha ido para o brejo, levando estaca e corda juntos. Foram situações muito tensas e delicadas”, lembrou o ministro. “Mas setores da agricultura, e principalmente da pecuária, conseguiram reagir muito fortemente, indo aos mercados internacionais. O governo também conseguiu responder a todos os questionamentos feitos naquele momento. Com isso, o Brasil terminará o ano ainda maior do que quando teve o problema da Carne Fraca”, acrescentou.

Deflagrada pela Polícia Federal em 17 de março, a Operação Carne Fraca desarticulou um esquema de corrupção envolvendo fiscais agropecuários e donos de frigoríficos nos estados do Paraná, de Minas Gerais e Goiás. Segundo a investigação, os fiscais alvo da operação recebiam propina das empresas para emitir certificados sanitários sem fiscalização efetiva da carne, o que permitia a venda de produtos com prazo de validade vencido.

Logo após a operação ter sido deflagrada, o Brasil recebeu 374 comunicados oficiais envolvendo demandas de 93 países preocupados com a qualidade da carne produzida no país. “A Carne Fraca foi um grande susto, mas também nos trouxe muitos alertas. Muitos sinais nos foram trazidos dentro dessa operação, que foi na verdade uma operação muito mais folclórica e midiática do que de qualquer outra coisa”, disse o ministro.

“As coisas apareceram, e a gente, então, começou a tomar mais cuidado. Tudo isso fez com que muitas mudanças fossem propostas aqui internamente no ministério. Percebemos naquele momento que a grande desconfiança dos nossos importadores [aqueles para os quais a carne brasileira era vendida, no exterior] era sobre o nosso serviço de fiscalização. Muitos deles achavam que havia interferência política dentro desse processo. Começamos então a desenvolver um novo sistema para blindar tudo isso. Por isso [é] que digo: o Brasil vai sair dessa questão da Carne Fraca mais forte do que quando entrou”, completou Maggi.

Edição: Nádia Franco

 

Últimas Notícias

Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas de celular no ano passado
Petrobras reduz em 3% GLP empresarial nas refinarias
Ministro do STJ nega pedido de prisão domiciliar a João de Deus
Escassez de chuvas leva governo a acionar termelétricas mais caras
Picciani, Paulo Melo e Albertassi serão julgados por Bretas
Suspensa permissão para deputada receber denúncias contra professores
MPT não descarta pedir bloqueio dos bens do Flamengo
Número de mortos identificados em Brumadinho chega a 151

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212