Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 ONU supera divisões e prolonga ajuda humanitária à Síria - Jornal Brasil em Folhas
ONU supera divisões e prolonga ajuda humanitária à Síria


O Conselho de Segurança da ONU prolongou nesta terça-feira (19) por mais um ano a resolução que autoriza a entrega de ajuda humanitária a populações nas zonas rebeldes da Síria, apesar da abstenção da Rússia.

A resolução foi aprovada por 12 votos a favor e três abstenções: além de Moscou, principal aliado de Damasco, China e Bolívia também se abstiveram.

Para o embaixador sueco na ONU, Olaf Skoog, a aprovação do texto sem veto é uma grande conquista para o Conselho de Segurança. É uma questão de vida ou morte para a população, estimou seu homólogo francês, François Delattre.

Este ano, o tema sírio tem dividido o Conselho de Segurança, com frequentes vetos da Rússia. Para ser aprovada, uma resolução deve contar com pelo menos nove votos a favor e não ser objeto de vetos de nenhum dos cinco membros permanentes, entre eles Rússia e China.

Segundo as Nações Unidas, cerca de 3 milhões de pessoas dos 13 milhões que precisam de ajuda humanitária na Síria, se beneficiam da ajuda fornecida pela ONU e ONGs às populações que vivem em zonas rebeldes.

A resolução, redigida por Suécia, Japão e Egito, prevê uma renovação da entrega de ajuda através das fronteiras e das linhas de combate até 10 de janeiro de 2019. A pedido da Rússia, o texto solicita ao secretário-geral António Guterres as recomendações sobre como fortalecer o mecanismo de controle da ONU sobre esta assistência.

O texto, que, segundo um diplomata, preserva o trabalho da ONU e das ONGs, pede a suspensão de todos os assédios e menciona Ghuta Oriental, perto de Damasco. Em novembro e no começo de dezembro, este bastião rebelde foi duramente bombardeado pelo regime, deixando dezenas de mortos.

Além disso, inclui uma referência às zonas de desescalada propostas pela Rússia e é redigida com muita prudência e apresentada como um passo para o cessar-fogo total, segundo a mesma fonte diplomática.

- Situação catastrófica -

Os países ocidentais querem a qualquer custo manter as Nações Unidas como canal único para encontrar uma solução política ao conflito sírio e acompanham com atenção os esforços diplomáticos e militares da Rússia que podem em última instância traduzir-se passar por cima da ONU.

Não há alternativa ao processo da ONU em Genebra, disse nesta terça-feira o embaixador francês.

A resolução que permite os comboios prescindir de toda autorização do regime sírio não é do agrado da Rússia. Moscou considera que mina a soberania da Síria. A situação sobre o terreno mudou radicalmente nos últimos três anos, disse o embaixador-adjunto russo na ONU, Vladimir Safronkov.

Durante as negociações, Moscou pediu um maior controle das cargas, das entregas e de seus destinos. A ajuda pode ocultar a entrega de armas ou ser vendida no mercado negro, teme a Rússia.

As críticas da Rússia a esta resolução da ONU surgem em um momento em que o presidente russo, Vladimir Putin, considera que ganhou a guerra contra o grupo extremista Estado Islâmico.

A evolução sobre o terreno não reduziu as necessidades humanitárias, replicou Delattre nesta terça-feira, enquanto falou em uma situação catastrófica na Ghuta Oriental.

Os países ocidentais pedem para não politizar este tema enquanto as negociações entre regime e oposição fracassaram em Genebra.

A resolução sobre a ajuda humanitária transfronteiriça e nas linhas de combate na Síria existe desde 2014.

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212