Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 ONU supera divisões e prolonga ajuda humanitária à Síria - Jornal Brasil em Folhas
ONU supera divisões e prolonga ajuda humanitária à Síria


O Conselho de Segurança da ONU prolongou nesta terça-feira (19) por mais um ano a resolução que autoriza a entrega de ajuda humanitária a populações nas zonas rebeldes da Síria, apesar da abstenção da Rússia.

A resolução foi aprovada por 12 votos a favor e três abstenções: além de Moscou, principal aliado de Damasco, China e Bolívia também se abstiveram.

Para o embaixador sueco na ONU, Olaf Skoog, a aprovação do texto sem veto é uma grande conquista para o Conselho de Segurança. É uma questão de vida ou morte para a população, estimou seu homólogo francês, François Delattre.

Este ano, o tema sírio tem dividido o Conselho de Segurança, com frequentes vetos da Rússia. Para ser aprovada, uma resolução deve contar com pelo menos nove votos a favor e não ser objeto de vetos de nenhum dos cinco membros permanentes, entre eles Rússia e China.

Segundo as Nações Unidas, cerca de 3 milhões de pessoas dos 13 milhões que precisam de ajuda humanitária na Síria, se beneficiam da ajuda fornecida pela ONU e ONGs às populações que vivem em zonas rebeldes.

A resolução, redigida por Suécia, Japão e Egito, prevê uma renovação da entrega de ajuda através das fronteiras e das linhas de combate até 10 de janeiro de 2019. A pedido da Rússia, o texto solicita ao secretário-geral António Guterres as recomendações sobre como fortalecer o mecanismo de controle da ONU sobre esta assistência.

O texto, que, segundo um diplomata, preserva o trabalho da ONU e das ONGs, pede a suspensão de todos os assédios e menciona Ghuta Oriental, perto de Damasco. Em novembro e no começo de dezembro, este bastião rebelde foi duramente bombardeado pelo regime, deixando dezenas de mortos.

Além disso, inclui uma referência às zonas de desescalada propostas pela Rússia e é redigida com muita prudência e apresentada como um passo para o cessar-fogo total, segundo a mesma fonte diplomática.

- Situação catastrófica -

Os países ocidentais querem a qualquer custo manter as Nações Unidas como canal único para encontrar uma solução política ao conflito sírio e acompanham com atenção os esforços diplomáticos e militares da Rússia que podem em última instância traduzir-se passar por cima da ONU.

Não há alternativa ao processo da ONU em Genebra, disse nesta terça-feira o embaixador francês.

A resolução que permite os comboios prescindir de toda autorização do regime sírio não é do agrado da Rússia. Moscou considera que mina a soberania da Síria. A situação sobre o terreno mudou radicalmente nos últimos três anos, disse o embaixador-adjunto russo na ONU, Vladimir Safronkov.

Durante as negociações, Moscou pediu um maior controle das cargas, das entregas e de seus destinos. A ajuda pode ocultar a entrega de armas ou ser vendida no mercado negro, teme a Rússia.

As críticas da Rússia a esta resolução da ONU surgem em um momento em que o presidente russo, Vladimir Putin, considera que ganhou a guerra contra o grupo extremista Estado Islâmico.

A evolução sobre o terreno não reduziu as necessidades humanitárias, replicou Delattre nesta terça-feira, enquanto falou em uma situação catastrófica na Ghuta Oriental.

Os países ocidentais pedem para não politizar este tema enquanto as negociações entre regime e oposição fracassaram em Genebra.

A resolução sobre a ajuda humanitária transfronteiriça e nas linhas de combate na Síria existe desde 2014.

 

Últimas Notícias

Inep divulga resultado do Enem
Frédéric Lamotte é o novo diretor geral da CA Indosuez Wealth (Miami) e responsável Global da região das Américas
A ACIRLAG chega para impulsionar o setor econômico da região Leste de Aparecida
Inep divulga notas do Enem na sexta-feira
Bolsonaro sanciona Lei do Orçamento 2019 de mais de R$ 3,3 trilhões
Parlamento venezuelano aprova acordo para entrada de ajuda humanitária
Imigrantes hondurenhos sofrem com obstáculos para passagem de caravana
Militares vão atuar de forma mais intensa no Programa Mais Médicos

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212