Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


13 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Petros recupera R$ 37 milhões de perda em investimento no FIP Enseada - Jornal Brasil em Folhas
Petros recupera R$ 37 milhões de perda em investimento no FIP Enseada


A Fundação Petrobras de Seguridade Social (Petros) conseguiu recuperar R$ 37,6 milhões da perda que teve no investimento em 25% das cotas do Fundo de Investimento em Participações Enseada (FIP Enseada), criado em 2010 para investir na Companhia Brasileira de Tecnologia Digital (CBTD). Na época, a formalização da empresa permitiu o retorno da marca Gradiente ao mercado.

O valor corresponde ao que a Petros investiu naquele momento, R$ 17 milhões, mais a correção calculada até 9 de novembro, quando foi fechado o acordo do Ministério Público Federal (MPF) com a BEM Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários e o Bradesco Asset Management S.A, à época administradora e gestora do FIP, para cobrir prejuízos causados aos fundos de pensão que aplicaram recursos no ativo.

Se o total investido pela Petros no FIP Enseada fosse corrigido pela meta atuarial, o fundo de pensão da Petrobras deveria receber R$ 36,5 milhões, ou seja, menos do que ficou acertado com o acordo. O investimento estava integralmente concentrado no Plano Petros do Sistema Petrobras (PPSP) – de benefício definido, e já havia sido provisionado como perda contábil.

O presidente da Petros, Walter Mendes, disse que desde que assumiu o cargo, em setembro de 2016, colaborou com o MPF e as demais autoridades relacionadas às investigações sobre investimentos dos fundos de pensão, além de reforçar o sistema de apuração interna. “Intensificamos o trabalho de apuração interna em busca da recuperação de recursos que, no passado, foram destinados a investimentos que não performaram como o esperado, sempre no melhor interesse dos participantes, que são os verdadeiros donos do patrimônio da fundação”, afirmou.

Investigação na CVM

A Petros também entrou com uma representação na Comissão de Valores Imobiliários (CVM), em novembro de 2016, solicitando abertura de processo investigativo para apurar a atuação da BEM Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda e do Bradesco Asset Management S.A. no exercício de suas atribuições como administradora e gestora do fundo. A Petros questionou a possibilidade de conflito de interesse, porque o Bradesco também era o principal credor da Gradiente e os recursos provenientes de sua recuperação extrajudicial seriam destinados à quitação das dívidas com o próprio banco.

De acordo com a Petros, os R$ 37,6 milhões que entraram no caixa “não interferem no valor do equacionamento do deficit acumulado em 2015 no PPSP, uma vez que o recebimento ocorre após a divulgação do balanço anual daquele ano, mas poderá contribuir para reduzir a chance de novos equacionamentos futuros”.

De acordo com o fundo de pensão da Petrobras, conforme a legislação, “a revisão de valores durante a vigência de um equacionamento, com o objetivo de desonerar as partes quanto ao pagamento das contribuições extras, é permitida somente quando o plano de benefício registrar equilíbrio atuarial”, o que não é o caso do PPSP atualmente.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212