Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


14 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Armas nucleares estão no topo de preocupações com paz e segurança, diz ONU - Jornal Brasil em Folhas
Armas nucleares estão no topo de preocupações com paz e segurança, diz ONU


O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, afirmou nesta quarta-feira (20), eEm reunião no Conselho de Segurança da ONU, que as armas nucleares estão no topo das preocupações de paz e segurança. A informação é da ONU News.

A sessão no Conselho de Segurança abordou desafios contemporâneos complexos para a paz e a segurança internacionais, como a mudança climática, escassez de água, desigualdade social e crimes cibernéticos.. Para o chefe das Nações Unidas, os perigos das armas nucleares tornaram-se novamente uma prioridade. Segundo ele, as tensões são maiores hoje do que no fim da Guerra Fria.

Guterres também citou a mudança climática e a escassez de água como uma preocupação crescente tendo em conta que em meados deste século a demanda pelo recurso aumentará em mais de 40%. Ele citou ainda que a desigualdade e a exclusão sociais, que alimentam a frustração e a marginalização.

Outros perigos que crescem são os da cibersegurança, onde ganhos em avanços tecnológicos facilitaram que extremistas se comuniquem, espalhem informações distorcidas, recrutem seguidores e explorem pessoas.

Guerras e conflitos

O líder da ONU declarou que, a longo prazo, o número de conflitos armados diminuiu. Entretanto, no Oriente Médio e em partes da África novas guerras surgiram. Em relação à forma como se apresentam os conflitos, ele frisou que estão se tornando mais intratáveis e mais longos e duram mais de 20 anos em média.

Para ilustrar a complexidade das atuais guerras, Guterres disse que grupos armados competem para controlar instituições estatais, recursos naturais e territórios. Ele disse que o extremismo e demandas absolutistas deixam pouco espaço para a diplomacia.

“O mundo observa uma multiplicação de facções políticas e grupos armados não estatais havendo centenas deles apenas na Síria”. O chefe da ONU disse haver também um aumento na regionalização e na internacionalização dos conflitos.

Novas abordagens

Além de frisar a mudança em quantidade e qualidade nas ameaças à paz e à segurança internacionais, Guterres destacou que a mudança da natureza dos conflitos requer que sejam repensadas as abordagens da ONU. Para ele, a prevenção deve estar no centro de todas as ações da organização.

A prevenção também inclui a diplomacia preventiva esforços para responder prontamente a sinais de tensão e forjar soluções políticas. E a necessidade de unidade por parte do Conselho de Segurança.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212