Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 CMN não vota prorrogação de limite para financiamentos do FGTS - Jornal Brasil em Folhas
CMN não vota prorrogação de limite para financiamentos do FGTS


A prorrogação do limite de R$ 1,5 milhão para o financiamento de imóvel com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), que teve a possibilidade de votação anunciada para hoje (21), não foi analisada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). A decisão, no entanto, ainda pode sair antes do fim do ano, caso o órgão convoque reunião extraordinária.

Em fevereiro, o CMN tinha elevado para R$ 1,5 milhão o valor máximo de imóveis que podem ser financiados com recursos do FGTS em todo o país. O limite ampliado vigora até 31 de dezembro e precisa ser renovado pelo CMN para valer em 2018.

Caso o Conselho Monetário não vote a prorrogação, a partir de 1º de janeiro voltam os limites antigos de financiamento: até R$ 800 mil para unidades na maior parte do país, e R$ 950 mil para imóveis no Distrito Federal, em Minas Gerais, no Rio de Janeiro e em São Paulo. Em café da manhã com jornalistas nessa terça-feira (19), o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que o limite poderia ser estendido caso entrasse na pauta da reunião do CMN.

Fundo garantidor

Na reunião de hoje, no entanto, o CMN ratificou outra medida anunciada por Meirelles no início da semana. Os clientes que aplicam recursos em bancos terão um limite máximo de garantia em caso de quebra da instituição financeira. O teto será de R$ 1 milhão por investidor a cada quatro anos.

Atualmente, o Fundo Garantidor de Crédito (FGC) cobre investimentos de R$ 250 mil por instituição financeira, independentemente do número de instituições em que o cliente mantém contas. Com a mudança, quem tiver até quatro investimentos de R$ 250 mil em quatro instituições diferentes estará garantido. Acima disso, estará descoberto.

O CMN também estendeu a cobertura do FGC para investidores estrangeiros. Até agora, apenas clientes brasileiros estavam contemplados. O Conselho Monetário também aprovou mudanças no estatuto e no regulamento do FGC. Segundo o Banco Central, as novas regras tornarão a administração do fundo mais transparente.

Criado em 1997, o FGC é formado por contribuições dos próprios bancos. O fundo tem como objetivo proteger os clientes em caso de quebra das instituições financeiras. Em nota, o Banco Central informou que a medida teve como objetivo alinhar a atuação do FGC às melhores práticas internacionais para sistemas de garantia de depósitos.

Edição: Luana Lourenço

 

Últimas Notícias

Bolsonaro terá uma série de reuniões na próxima semana em Brasília
Com pênalti controverso, Brasil vence Uruguai por um a zero
Brasil está preparado para substituir médicos cubanos, afirma Temer
Chega a quatro número de vítimas das chuvas em Belo Horizonte
Estudantes poderão renovar o Fies até o dia 23
Massoterapeuta Dani Bumbum deixa prisão no Rio
Cervejas terão rótulos com os ingredientes usados na fabricação
Temporal causa mortes e estragos em BH; adolescente está desaparecida

MAIS NOTICIAS

 

Morre em Pelotas o criador da camisa canarinho, Aldyr Schlee
 
 
Brasil concentrou 40% dos feminicídios da América Latina em 2017
 
 
Jungmann e Toffoli anunciam sistema para unificar processos de presos
 
 
Pensamento liberal deve guiar a equipe econômica de Bolsonaro
 
 
Gold3-4 minutosfajn permanecerá à frente do BC até Senado aprovar Campos Neto
 
 
Senado argentino aprova orçamento de 2019 como prometeu ao FMI

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212