Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Fusão de duas estrelas de nêutrons é descoberta científica do ano - Jornal Brasil em Folhas
Fusão de duas estrelas de nêutrons é descoberta científica do ano


A observação da colisão de duas estrelas de nêutrons, que permitiu uma inédita captação simultânea de ondas gravitacionais e eletromagnéticas, foi a principal descoberta científica de 2017, assinalou nesta quinta-feira a revista americana Science.

Efetuada no dia 17 de agosto passado, esta observação confirmou vários modelos-chave da astrofísica, revelou a origem de numerosos elementos pesados da matéria e confirmou a teoria geral da relatividade de Albert Einstein como nunca antes, assinalaram os editores da revista.

O choque entre as duas estrelas ocorreu a 130 milhões de anos-luz da Terra e gerou minúsculas ondulações no tecido espaço/tempo, chamadas de ondas gravitacionais e captadas por três instrumentos gigantes na Terra, dois nos Estados Unidos e um na Europa.

Estas ondas, previstas por Albert Einstein, foram detectadas pela primeira vez em 2015, após a colisão de dois buracos negros, algo que valeu o prêmio Nobel de Física 2017 aos cientistas que as identificaram.

Estas ondas abrem uma nova e importante janela de observação do Universo, ao permitir observar corpos que não emitem luz.

Poder compreender a totalidade dos acontecimentos cósmicos cataclísmicos promete revolucionar a astrofísica, destacou a Science.

Entre os outros dez avanços científicos-chave de 2017 a revista destaca a descoberta de uma nova espécie de orangotango (o Pongo tapanuliensis) em uma ilha isolada da Indonésia, assim como a nova datação de um crânio de 300 mil anos que permite concluir que os primeiros homo sapiens viveram 100 mil anos antes do que se previa.

Uma terapia genética para crianças afetadas por atrofia muscular espinhal, a causa genética mais frequente de mortalidade infantil, também integra a lista da Science de 2017, do mesmo modo que outro progresso que poderá eliminar mutações genéticas responsáveis por algumas doenças.

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212