Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Ex-detentos pedem clemência a todos os opositores presos na Venezuela - Jornal Brasil em Folhas
Ex-detentos pedem clemência a todos os opositores presos na Venezuela


A ativista Andrea González, libertada na Venezuela junto com 43 opositores ao governo de Nicolás Maduro, afirmou nesta terça-feira (26) que espera a soltura de dezenas de prisioneiros por razões políticas.

A nossa liberdade é apenas um passo, porque deixamos na prisão amigos que foram como irmãos. Ajudamo-nos uns aos outros e deixá-los para trás é muito difícil, disse González, que foi libertada no sábado após ser preso em 17 de agosto de 2015.

Entre os soluços, a mulher de 31 anos pediu um pouco de clemência e humanidade para que todos os adversários do presidente Maduro que estão na prisão possam recuperar a liberdade.

González, que recebeu uma menção especial no prêmio Sakharov concedido este ano pelo Parlamento Europeu à oposição venezuelana, foi libertada com outros 43 opositores a pedido da Assembleia Nacional Constituinte que rege a Venezuela com poder absoluto.

A chamada Comissão da Verdade desse órgão recomendou que a justiça e o governo libertassem cerca de 80 opositores.

De acordo com a ONG Forum Penal, após a libertação dos primeiros 44 ainda restam 216 prisioneiros políticos, dos quais o mais emblemático é Leopoldo López, que em prisão domiciliar cumprindo uma sentença de quase 14 anos, acusado de incitar a violência em protestos que deixaram 43 mortos em 2014.

González foi presa sob acusação de conspirar para assassinar uma filha do poderoso líder chavista Diosdado Cabello, o que ela categoricamente nega.

Dois outros opositores libertados, Betty Grossi e Juan Miguel de Sousa, foram nesta terça com González ao Palácio da Justiça em Caracas para verificar seu status legal.

Grossi também exigiu a libertação de todos os adversários presos desde 2003, enquanto Sousa denunciou que a negligência das autoridades o impediu de receber tratamento para um câncer de próstata que não pode mais ser operado. Ambos foram presos em agosto de 2015.

 

Últimas Notícias

Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas de celular no ano passado
Petrobras reduz em 3% GLP empresarial nas refinarias
Ministro do STJ nega pedido de prisão domiciliar a João de Deus
Escassez de chuvas leva governo a acionar termelétricas mais caras
Picciani, Paulo Melo e Albertassi serão julgados por Bretas
Suspensa permissão para deputada receber denúncias contra professores
MPT não descarta pedir bloqueio dos bens do Flamengo
Número de mortos identificados em Brumadinho chega a 151

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212