Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


14 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Ucrânia e separatistas pró-russos fazem troca de prisioneiros - Jornal Brasil em Folhas
Ucrânia e separatistas pró-russos fazem troca de prisioneiros


As autoridades ucranianas e os separatistas pró-russos trocaram nesta quarta-feira (27) mais de 300 prisioneiros na zona leste rebelde da Ucrânia, em um dos intercâmbios mais significativos em quase quatro anos de guerra.

O presidente ucraniano, Petro Poroshenko, recebeu os ucranianos libertados perto da linha de frente, antes de voar com eles a bordo de helicópteros para Jarkiv, o grande centro regional sob o controle de Kiev no leste do país.

Por fim conseguimos, declarou o chefe de Estado ucraniano, no aeroporto de Jarkiv aos ex-prisioneiros, alguns deles vestidos com uniforme militar e com a bandeira ucraniana sobre as costas.

Vamos duplicar ou até triplicar os esforços para libertar os prisioneiros restantes, prometeu.

Na noite desta quarta-feira, os ucranianos libertados foram recebidos por centenas de pessoas no Aeroporto de Kiev, com bandeiras do país e ramos de flores, sob os gritos de Glória à Ucrania! Glória aos heróis!

Os familiares correram para abraçar seus entes queridos, alguns há mais de três anos detidos.

Fruto de difíceis negociações entre o presidente russo, Vladimir Putin, e seu homólogo Poroshenko que se prolongaram durante semanas, o intercâmbio beneficiou 73 prisioneiros detidos nas duas repúblicas autoproclamadas pelos rebeldes - Lugansk e Donetsk - e a 233 detidos pelas autoridades de Kiev.

Cirilo, patriarca da Igreja ortodoxa russa, também participou nas negociações.

No começo, a previsão era trocar 74 prisioneiros dos separatistas em troca de 306 dos detidos em Kiev, mas um total de 74 se negaram a mudar de lado, segundo a procuradoria ucraniana.

Esta operação, a primeira de prisioneiros em 15 meses, foi feira na linha de frente perto de Gorlivka, a cerca de 40 km da capital separatista de Donetsk.

A liberação dos prisioneiros é um dos pontos centrais dos acordos de paz de Minsk, assinados em fevereiro de 2015 e que permitiram que a intensidade dos combates fosse reduzida.

Segundo um comunicado do Parlamento ucraniano publicado nesta quarta-feira, os separatistas mantêm uma centena de prisioneiros.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212