Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


12 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Produtor Fernando Bicudo é o novo presidente do Theatro Municipal do Rio - Jornal Brasil em Folhas
Produtor Fernando Bicudo é o novo presidente do Theatro Municipal do Rio


O economista e produtor cultural Fernando Bicudo será o novo presidente da Fundação Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Ele aceitou o convite do secretário estadual de Cultura, Leandro Sampaio Monteiro, e voltará a dirigir a casa de espetáculos mais tradicional da cidade, que já comandou nos anos 80.
Rio de Janeiro - Os bailarinos Débora Ribeiro e Diego Lima se apresentam durante manifestação pela regularização de salários atrasados dos funcionários do Theatro Municipal(Fernando Frazão/Agência Brasil)

Os bailarinos Débora Ribeiro e Diego Lima se apresentam durante manifestação pela regularização de salários do Theatro Municipal.

De acordo com nota divulgada hoje (28) pela Secretaria Estadual de Cultura, à qual a Fundação Theatro Municipal é vinculada, a bailarina Ana Botafogo, anteriormente convidada, havia feito uma lista de condições para assumir o cargo, dentre as quais a regularização dos salários atrasados de todos os funcionários do teatro. A exigência foi levada ao governador Luiz Fernando Pezão, que pediu um prazo até o fim de fevereiro para poder atender à bailarina.

Com urgência em iniciar o planejamento da programação do Municipal para 2018, o secretário Leandro Monteiro voltou a consultar Ana Botafogo, que manteve-se fiel ao compromisso assumido com os funcionários e decidiu abrir mão do convite. Atual diretora do corpo de baile do Theatro Municipal, cargo que divide com a também bailarina Cecília Kerche, Ana Botafogo prometeu colaborar com a gestão de Fernando Bicudo.

Carioca, nascido em 1946, Fernando Bicudo é economista formado pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), mas tem uma trajetória profissional ligada ao teatro, especialmente à cena lírica. Produziu e dirigiu mais de trinta óperas, no Brasil e no exterior. Além do Municipal do Rio, dirigiu os teatros Amazonas, de Manaus, e Arthur Azevedo, de São Luís.

Ao longo do ano de 2017, o Theatro Municipal do Rio de Janeiro foi duramente afetado pela crise nas contas do estado, com artistas, técnicos e funcionários administrativos recebendo com atraso o pagamento de seus salários e com falta de condições para manter a programação da casa. Por três ocasiões, os músicos, bailarinos e cantores promoveram protestos sob a forma de manifestação artística, aberta ao público, nas escadarias do teatro, localizado na Cinelândia, centro da cidade.

Edição: Davi Oliveira

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212