Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


24 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Produtor Fernando Bicudo é o novo presidente do Theatro Municipal do Rio - Jornal Brasil em Folhas
Produtor Fernando Bicudo é o novo presidente do Theatro Municipal do Rio


O economista e produtor cultural Fernando Bicudo será o novo presidente da Fundação Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Ele aceitou o convite do secretário estadual de Cultura, Leandro Sampaio Monteiro, e voltará a dirigir a casa de espetáculos mais tradicional da cidade, que já comandou nos anos 80.
Rio de Janeiro - Os bailarinos Débora Ribeiro e Diego Lima se apresentam durante manifestação pela regularização de salários atrasados dos funcionários do Theatro Municipal(Fernando Frazão/Agência Brasil)

Os bailarinos Débora Ribeiro e Diego Lima se apresentam durante manifestação pela regularização de salários do Theatro Municipal.

De acordo com nota divulgada hoje (28) pela Secretaria Estadual de Cultura, à qual a Fundação Theatro Municipal é vinculada, a bailarina Ana Botafogo, anteriormente convidada, havia feito uma lista de condições para assumir o cargo, dentre as quais a regularização dos salários atrasados de todos os funcionários do teatro. A exigência foi levada ao governador Luiz Fernando Pezão, que pediu um prazo até o fim de fevereiro para poder atender à bailarina.

Com urgência em iniciar o planejamento da programação do Municipal para 2018, o secretário Leandro Monteiro voltou a consultar Ana Botafogo, que manteve-se fiel ao compromisso assumido com os funcionários e decidiu abrir mão do convite. Atual diretora do corpo de baile do Theatro Municipal, cargo que divide com a também bailarina Cecília Kerche, Ana Botafogo prometeu colaborar com a gestão de Fernando Bicudo.

Carioca, nascido em 1946, Fernando Bicudo é economista formado pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), mas tem uma trajetória profissional ligada ao teatro, especialmente à cena lírica. Produziu e dirigiu mais de trinta óperas, no Brasil e no exterior. Além do Municipal do Rio, dirigiu os teatros Amazonas, de Manaus, e Arthur Azevedo, de São Luís.

Ao longo do ano de 2017, o Theatro Municipal do Rio de Janeiro foi duramente afetado pela crise nas contas do estado, com artistas, técnicos e funcionários administrativos recebendo com atraso o pagamento de seus salários e com falta de condições para manter a programação da casa. Por três ocasiões, os músicos, bailarinos e cantores promoveram protestos sob a forma de manifestação artística, aberta ao público, nas escadarias do teatro, localizado na Cinelândia, centro da cidade.

Edição: Davi Oliveira

 

Últimas Notícias

Chega a 73 o número de mortos em explosão no México; feridos somam 74
Forte terremoto de magnitude 6,7 atinge o Chile
Mais de 150 imigrantes se afogam no Mar Mediterrâneo
Brasil e Europa vão ser interligados por novo cabo submarino
Acordo para mudar nome da Macedônia gera protestos em Atenas
Ghosn está disposto a aceitar qualquer condição para obter fiança
Bombeiros buscam pessoa desaparecida depois de tromba dágua no Rio
Mega-Sena acumula de novo e pode pagar R$ 38 milhões na quarta-feira

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212