Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


25 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Venezuelanos protestam contra falta de pernil no Natal - Jornal Brasil em Folhas
Venezuelanos protestam contra falta de pernil no Natal


Centenas de venezuelanos protestaram em Caracas nesta quarta-feira à noite porque não receberam do governo o pernil, principal prato da ceia de Natal e Ano-Novo no país, uma escassez que o presidente Nicolás Maduro atribuiu a uma sabotagem internacional.

Os protestos aconteceram nos bairros de Antímano e La Vega, zona oeste de Caracas. A Guarda Nacional monitorou as manifestações.

Fotos de avenidas bloqueadas e latas de lixo queimadas foram divulgadas nas redes sociais. Vários internautas ironizaram a situação, que chamaram de revolução do pernil.

Outras manifestações menores foram registradas nos últimos dias em Caracas e outras cidades pela ausência da carne de porco prometida pelo governo para as festas natalinas, através de um sistema de venda a preços subsidiados em áreas populares.

Maduro comentou na quarta-feira a situação em um discurso transmitido por rádio e televisão.

O que aconteceu com o pernil? Nos sabotaram. Posso dizer isso de um país: Portugal, disse Maduro.

Segundo o presidente, seu governo comprou todo o pernil que havia na Venezuela e ordenou a importação de mais peças. Mas perseguiram nossas contas bancárias, perseguiram os dois barcos gigantes que vinham, acrescentou.

Os portugueses se comprometeram, foram assustados pelos gringos e não enviaram os pernis, afirmou Diosdado Cabello, número dois do chavismo, em seu programa no canal estatal VTV.

O governo dos Estados Unidos impôs sanções financeiras contra a Venezuela e proibiu que seus cidadãos e empresas negociem novas dívidas do governo e sua estatal petroleira PDVSA, fonte de 96% das divisas que entram no país. Maduro afirma que isto prejudica as importações.

Os venezuelanos sofrem uma severa escassez de alimentos básicos e medicamentos, além de uma inflação que, segundo o FMI, deve superar 2.300% em 2018.

 

Últimas Notícias

Jovens têm menos chance de contratação e mais de serem demitidos
Bolsa cai e dólar fecha em R$ 3,80
Araújo: dispensa de status especial na OMC nos coloca como país grande
Países sul-americanos devem sair de uma só vez da Unasul, diz ministro
Chanceler descarta emprego das Forças Armadas na Venezuela
Moçambique, Zimbábue e Malauí tentam identificar vítimas de ciclone
Nova Zelândia quer proibir, em abril, venda de armas do tipo militar
Conselho Europeu aceita prorrogar saída do Reino Unido para maio

MAIS NOTICIAS

 

Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
 
 
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
 
 
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
 
 
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
 
 
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
 
 
Conflitos e segurança poderão contar pontos na avaliação de escolas

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212