Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Veneno que matou criminoso de guerra bósnio-croata era indetectável - Jornal Brasil em Folhas
Veneno que matou criminoso de guerra bósnio-croata era indetectável


O veneno ingerido pelo criminoso de guerra bósnio-croata Slobodan Praljak, que se suicidou em plena audiência no Tribunal Penal internacional para a ex-Iugoslávia (TPIY), não era de modo algum detectável, anunciou a corte neste domingo, após publicar uma investigação interna.

Não existe nenhuma medida que poderia ter detectado o veneno em qualquer fase, afirmou o juiz Hassan Jallow em um comunicado.

O tribunal abriu uma investigação interna sobre a morte de Slobodan Praljak, que se suicidou em 29 de novembro ingerindo cianeto em plena sala de audiências onde era julgado e ao vivo diante das câmeras, depois de ter sido condenado a 20 anos de prisão por crimes de guerra e crimes contra a humanidade.

Minha investigação não revelou nenhuma lacuna no marco jurídico do TPIY, continuou o juiz, afirmando que os agentes do TPIY e do centro de detenção [de Haia onde Praljak estava detido] respeitaram as regras.

O pequeno tamanho do frasco [que continha o veneno], os limites nas normas de revista invasivas e a natureza do equipamento de detecção disponível no centro penitenciário e nos locais do TPIY contribuíram para dificultar a detecção do líquido, acrescentou o juiz, que foi assessorado por especialistas independentes durante a investigação.

A operação da procuradoria holandesa, ainda em andamento, que foi solicitada pelo TPIY após o incidente, busca determinar como Praljak pôde obter e introduzir no tribunal o frasco com cianeto.

Não é possível adquirir legalmente o cianeto nem fabricá-lo ilegalmente com produtos disponíveis no centro de detenção, argumentou o juiz.

Para evitar que este tipo de incidentes se repitam, Hassan Jallow transmitiu recomendações relativas às revistas e recomendou cursos de formação para o pessoal de segurança que serão compartilhados com outros tribunais.

O suicídio de Praljak, de 72 anos, aconteceu durante a leitura da sentença no julgamento de apelação contra seis ex-dirigentes e ex-chefes militares bósnio-croatas, acusados de crimes de guerra e crimes contra a humanidade durante o conflito entre croatas e muçulmanos (1993-1994) como parte da guerra da Bósnia.

De pé, em frente aos juízes, Praljak viu como o tribunal confirmava sua condenação e com a voz firme disse: Slobodan Praljak não é um criminoso de guerra, rejeito seu veredito, tirou um frasco e bebeu seu conteúdo. Ele morreu horas depois de um ataque cardíaco.

 

Últimas Notícias

Centro está preparado para lançamento de foguete após acidente
Cidades brasileiras integram programa de preservação de florestas
MP denuncia ex-marido de corretora assassinada no Rio
Bolsonaro segue estável e internado no Hospital Albert Einstein
Goiás entra para a elite dos Estados mais competitivos do País
Petrobras eleva gasolina em 2 centavos; diesel permanece inalterado
MME faz consulta sobre planejamento da transmissão de energia elétrica
Inadimplência do consumidor subiu 3,63% em agosto

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212