Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


23 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Brasileiros deixam R$ 17,1 bilhões em um dos piores investimentos do ano - Jornal Brasil em Folhas
Brasileiros deixam R$ 17,1 bilhões em um dos piores investimentos do ano


SÃO PAULO - Após dois anos de saldo negativo, as cadernetas de poupança voltaram a ter captação líquida positiva em 2017 e os depósitos superaram as retiradas em R$ 17,126 bilhões. O resultado decorre de depósitos totais de R$ 2,085 trilhões e saques totais de R$ 2,068 trilhões.

De acordo com dados divulgados pelo Banco Central nesta sexta-feira (5), o resultado foi alcançado devido ao desempenho de dezembro, que foi positivo em R$ 19,373 bilhões.

De um lado, o resultado é positivo diante da percepção de que os brasileiros voltam, aos poucos, a encontrar folga no orçamento para guardar dinheiro - o que seria um dos sinais de retomada da economia após a pior crise do último século vivida pelo país.

Vale lembrar que, além da retomada da economia e do emprego, houve ainda a liberação dos saques de contas inativas do FGTS que injetou R$ 44 bilhões na economia em 2017.

Durante o ano passado, os rendimentos da poupança totalizaram R$ 42,484 bilhões. Parece muito, mas as aplicações em poupança estão entre os três piores investimentos para 2018, segundo o analista-chefe da Rico Investimentos, Roberto Indech.

O analista contou no programa “Como viver de renda fixa” quais investimentos você deve evitar neste ano.

Desempenho da poupança De janeiro a novembro de 2017, a poupança acumulou rendimento de 3,82%, já descontada a inflação do período, no melhor desempenho desde 2006, segundo levantamento da plataforma de análise financeira Economatica.

Embora tenha alcançado seu melhor rendimento em 11 anos, os ganhos da poupança seguem muito abaixo de outras aplicações em renda fixa também conservadoras. O CDB com rendimento de 100% do CDI, por exemplo, rendeu no mesmo período, 6,67% - já descontada a inflação.

Uma aplicação de R$ 100 mil na poupança somado aos rendimentos teria alcançado R$ 103.820, enquanto um investimento do mesmo valor em CDBs que paguem 100% do CDI teria rendido R$ 105.303, já descontado os 20,5% de imposto de renda sobre o lucro.

Vale lembrar que se o dinheiro aplicado no CDB for mantido no investimento por mais tempo, menor é o desconto de imposto de renda, ou seja, a vantagem sobre a poupança é ainda maior.

Veja a tabela regressiva das alíquotas de imposto de renda que incidem sobre os CDBs e outros investimentos de renda fixa:

Alíquota de Imposto de Renda

Prazo de resgate

22,5%

inferior a 6 meses

20,5%

de 6 a 12 meses

17,5%

de 12 a 24 meses

15%

acima de 24 meses

Em todos os casos, cabe destacar que rentabilidade passada não garante ganhos futuros.

 

Últimas Notícias

Chega a 73 o número de mortos em explosão no México; feridos somam 74
Forte terremoto de magnitude 6,7 atinge o Chile
Mais de 150 imigrantes se afogam no Mar Mediterrâneo
Brasil e Europa vão ser interligados por novo cabo submarino
Acordo para mudar nome da Macedônia gera protestos em Atenas
Ghosn está disposto a aceitar qualquer condição para obter fiança
Bombeiros buscam pessoa desaparecida depois de tromba dágua no Rio
Mega-Sena acumula de novo e pode pagar R$ 38 milhões na quarta-feira

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212