Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Venezuela diz que militares não vão se dobrar após sanções dos EUA - Jornal Brasil em Folhas
Venezuela diz que militares não vão se dobrar após sanções dos EUA


O governo da Venezuela disse que as Forças Armadas nunca se dobrarão diante dos Estados Unidos, após sanções impostas nesta sexta-feira por Washington contra quatro funcionários venezuelanos, todos militares ativos ou da reserva.

A FAMB (Força Armada Nacional Bolivariana) nunca se dobrará diante de qualquer poder estrangeiro e muito menos diante das forças imperialistas e belicistas do governo supremacista de Donald Trump. Exigimos respeito - escreveu o chanceler Jorge Arreaza no Twitter.

Arreaza citou diretamente Heather Nauert, porta-voz do Departamento de Estado americano.

Horas antes, o Departamento de Tesouro dos Estados Unidos sancionou quatro funcionários venezuelanos, Rodolfo Marco Torres, Gerardo Izquierdo Torres, Francisco Rangel Gómez e Fabio Zavarse Pabón, por corrupção ou repressão contra os protestos opositores que deixaram cerca de 125 mortos entre abril e julho passados.

Segundo o anúncio oficial das medidas, os quatro esqueceram a missão profissional republicana das instituições militares venezuelanas.

Trump e seu pitoresco governo devem entender que a Venezuela nunca cederá a chantagens nem ameaças, afirmou Delcy Rodríguez, presidente da Assembleia Constituinte, integrada apenas por chavistas, que rege o país desde agosto como poder absoluto.

Classificada pela oposição como manobra do presidente Nicolás Maduro para estabelecer uma ditadura, a Constituinte não é reconhecida pelos Estados Unidos.

Os sancionados desta sexta-feira se somam a uma ampla lista de funcionários de alto escalão venezuelanos, entre eles, Maduro, contra os quais Washington já aprovou sanções.

O governo de Trump, além disso, proibiu cidadãos e empresas americanos de negociar dívidas emitidas pelo governo venezuelano e sua petroleira estatal PDVSA, em meio a declarações de moratória por pagamentos atrasados de juros e capitais de títulos.

 

Últimas Notícias

Bolsonaro terá uma série de reuniões na próxima semana em Brasília
Com pênalti controverso, Brasil vence Uruguai por um a zero
Brasil está preparado para substituir médicos cubanos, afirma Temer
Chega a quatro número de vítimas das chuvas em Belo Horizonte
Estudantes poderão renovar o Fies até o dia 23
Massoterapeuta Dani Bumbum deixa prisão no Rio
Cervejas terão rótulos com os ingredientes usados na fabricação
Temporal causa mortes e estragos em BH; adolescente está desaparecida

MAIS NOTICIAS

 

Morre em Pelotas o criador da camisa canarinho, Aldyr Schlee
 
 
Brasil concentrou 40% dos feminicídios da América Latina em 2017
 
 
Jungmann e Toffoli anunciam sistema para unificar processos de presos
 
 
Pensamento liberal deve guiar a equipe econômica de Bolsonaro
 
 
Gold3-4 minutosfajn permanecerá à frente do BC até Senado aprovar Campos Neto
 
 
Senado argentino aprova orçamento de 2019 como prometeu ao FMI

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212