Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


22 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Portugal pede condições para seus empresários na Venezuela - Jornal Brasil em Folhas
Portugal pede condições para seus empresários na Venezuela


O chanceler de Portugal, Augusto Santos Silva, pediu nesta segunda-feira (8) condições para os empresários lusitanos residentes na Venezuela, após o governo de Nicolás Maduro obrigar os supermercados, muitos deles propriedades de portugueses, a reduzirem os preços.

Em uma entrevista coletiva com seu contraparte venezuelano, Jorge Arreaza, Santos pediu ao governo do país para fazer tudo que for possível para conciliar sua política de controle de preços com a necessidade dos portugueses de ter condições para suas empresas, comércios e redes de distribuição.

O chanceler português, que chegou a Caracas no sábado, disse que tinha se reunido com representantes da colônia de portugueses no país, que chega a 500 mil pessoas, e constatou as dificuldades em que vivem (na Venezuela) têm impacto nessa comunidade.

Na reunião, uma delegação de empresários portugueses pediu ajuda ao chanceler após a ordem do governo emitida no fim de semana passado de reduzir os preços nos comércios, em um contexto de economia abalada pela hiperinflação.

Há preocupações (na comunidade portuguesa na Venezuela) pelas dificuldades de que se tenham preços inferiores aos custos de produção, disse mais tarde o diplomata, após se reunir com o Omar Barboza, presidente do Parlamento de maioria opositora.

Segundo o chefe da Superintendência de Defesa dos Direitos Socioeconômicos (Sundee), Willian Contreras, 214 supermercados de 26 cadeias foram inspecionados em Caracas, além de outros 350 estabelecimentos na capital e em outros estados, para verificar se havia especulação.

Arreaza, que não comentou o pedido do colega, destacou a importância da comunidade portuguesa na Venezuela e indicou que existem cerca de 20 projetos mistos em execução.

O chanceler português chegou a Venezuela em meio a atritos bilaterais, porque Maduro atribuiu a falta de pernil de porco importado para as festas de Natal a uma sabotagem de Portugal.

Diversos pequenos protestos aconteceram no fim do ano porque famílias pobres não receberam do governo o pernil que o governo tinha prometido a preços subsidiados.

Em declarações à imprensa após a reunião com Arreaza, Santos garantiu que o incidente já foi resolvido: IO governo português não participa das relações contratuais entre empresas, afirmou.

 

Últimas Notícias

Furto de combustível causou explosão que matou ao menos 66 pessoas
Sobe para 399 número de presos por ataques no Ceará
Migrantes desaparecidos em naufrágio no Mediterrâneo já são 114
Aniversário de São Paulo terá programação com diversidade de ritmos
Mais de 600 pessoas levavam gasolina na hora da explosão de oleoduto
Pré-carnaval movimenta foliões nas ruas do Rio
Brasil expressa condolências às famílias das vítimas no México
Marcha das Mulheres reúne milhares pelo mundo

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212