Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 ONU e Igreja pedem cessar-fogo mais robusto com ELN na Colômbia - Jornal Brasil em Folhas
ONU e Igreja pedem cessar-fogo mais robusto com ELN na Colômbia


A ONU e a Igreja Católica, que verificam o primeiro cessar-fogo bilateral com o ELN na Colômbia, advogaram por um acordo mais robusto, na véspera de concluírem a trégua, na terça-feira.

Em um comunicado conjunto divulgado nesta segunda-feira (8), os dois organismos chamaram o governo e os rebeldes a preservarem as conquistas obtidas durante a suspensão temporária do confronto que foi acordada no âmbito dos diálogos de paz de Quito.

Ainda que se digam conscientes das dificuldades na implementação da trégua, que começou em 1º de outubro de 2017, a Igreja e as Nações Unidas compartilham a necessidade de um acordo de cessar-fogo mais robusto que gere maior confiança entre as partes e na sociedade colombiana.

A missão de verificação composta pelas duas instituições não se pronunciou explicitamente sobre uma prorrogação do cessar-fogo, mas insistiu em seu pedido para que perseverem nos diálogos com o Exército de Libertação Nacional (ELN), a última guerrilha ativa na Colômbia reconhecida pelo governo.

Também exortaram ao governo e seu contraparte a avançar ainda mais, até a redução da violência, e consolidar e ampliar os benefícios alcançados desde o estabelecimento do cessar-fogo.

A algumas horas de acabar a trégua, os delegados do governo e do grupo guevarista retomarão na terça-feira em Quito as conversas de paz, em meio à expectativa de uma eventual extensão do cessar-fogo.

Embora as partes se acusem de incumprimentos mútuos, expressaram sua intenção de negociar uma extensão do acordo, ou inclusive negociar um novo.

Durante esses meses de trégua não foram registrados combates entre os militares e as tropas rebeldes, mas o ELN foi acusado, por exemplo, de violar o pacto ao assassinar um governador indígena, um feito pelo qual essa organização pediu perdão.

O grupo rebelde considerou como incumprimento a morte de sete camponeses cocaleiros em um ataque que envolveu a força pública e as operações militares em suas zonas de influência.

Com menos de 2.000 combatentes, a guerrilha surgida sob a influência da Revolução Cubana está negociando um acordo de paz, após o assinado pela agora ex-guerrilha comunista das Farc em novembro de 2016.

O presidente Juan Manuel Santos, que deixará o poder em agosto, espera levar à frente as negociações iniciadas há quase um ano em Quito, visando extinguir o último conflito armado do continente que, em mais de meio século, deixou cerca de oito milhões de vítimas entre mortos, feridos e deslocados.

 

Últimas Notícias

Bolsonaro terá uma série de reuniões na próxima semana em Brasília
Com pênalti controverso, Brasil vence Uruguai por um a zero
Brasil está preparado para substituir médicos cubanos, afirma Temer
Chega a quatro número de vítimas das chuvas em Belo Horizonte
Estudantes poderão renovar o Fies até o dia 23
Massoterapeuta Dani Bumbum deixa prisão no Rio
Cervejas terão rótulos com os ingredientes usados na fabricação
Temporal causa mortes e estragos em BH; adolescente está desaparecida

MAIS NOTICIAS

 

Morre em Pelotas o criador da camisa canarinho, Aldyr Schlee
 
 
Brasil concentrou 40% dos feminicídios da América Latina em 2017
 
 
Jungmann e Toffoli anunciam sistema para unificar processos de presos
 
 
Pensamento liberal deve guiar a equipe econômica de Bolsonaro
 
 
Gold3-4 minutosfajn permanecerá à frente do BC até Senado aprovar Campos Neto
 
 
Senado argentino aprova orçamento de 2019 como prometeu ao FMI

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212