Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Jan de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Presidente francês realiza primeira visita de Estado à China - Jornal Brasil em Folhas
Presidente francês realiza primeira visita de Estado à China


O presidente francês Emmanuel Macron focou-se nesta segunda-feira (8), em sua primeira visita à China, nas Novas Rotas da Seda, um projeto muito importante para o colega chinês Xi Jinping.

O chefe de Estado e sua esposa, Brigitte Macron, chegaram no final da tarde em Pequim, onde foram recebidos pelo presidente Xi e sua esposa para um primeiro encontro.

A verdadeira reunião entre os dois líderes acontecerá na terça-feira.

Macron iniciou simbolicamente sua visita em Xian (norte), antiga capital do império chinês e ponto de partida da Rota da Seda, antiga rota comercial atualizada por Xi Jinping para consolidar os vínculos econômicos da China e sua influência.

Nossos destinos estão unidos, disse em um discurso sobre o futuro das relações franco-chinesas. O futuro precisa da França, da Europa e da China, acrescentou.

Macron expressou seu respaldo ao faraônico projeto de conectar Ásia e Europa por terra, mar e ar.

Xi lançou em 2013 um colossal projeto para construir estradas, portos, ferrovias e parques industriais. Esta iniciativa, chamada Novas Rotas da Seda, deve abranger 65 países, com investimentos de mais de 1 trilhão de dólares.

O meu desejo é que a França e a Europa (...) estejam presentes no encontro oferecido pela China, assegurou Emmanuel Macron em um longo discurso em Xiam, enquanto a França manteve até o momento cautela em relação a um projeto considerado perigosamente expansionista.

Mas Emmanuel Macron não deixou de lançar uma advertência.

Essas estradas são compartilhadas e não podem ser inequívocas, disse. Não podem ser as estradas de uma nova hegemonia que viria para transformar em vassalos os países que atravessa.

- Batalha climática -

Em face da decisão de Donald Trump de retirar os Estados Unidos do acordo de Paris sobre o aquecimento global, Macron anunciou que vai propor a Xi Jinping relançar a batalha climática.

Sem a decisão da China de persistir, o acordo de Paris não teria sobrevivido à decisão dos Estados Unidos, considerou, observando que a China continua sendo o maior emissor de gases do efeito estufa.

Antes de seu discurso, Macron visitou em Xian o famoso exército de terracota subterrâneo do primeiro imperador, antes de ir a dois lugares da Rota da Seda: o Grande pagode do ganso selvagem e a Grande mesquita, testemunhas da importação do budismo e do islamismo na China.

O presidente francês, que ofereceu a seu anfitrião um cavalo da Guarda Republicana, como em resposta à diplomacia do panda querida por Pequim, deve permanecer até quarta-feira na capital chinesa.

Usar um cavalo como presente diplomático é uma tradição que remonta aos tempos antigos, explicou à AFP Jean-Louis Gouraud, especialista na história dos cavalos e autor o livro O cavalo, um animal político. Dar um cavalo de presente é uma maneira de expressar seu respeito mas também de obter as boas graças daqueles que se presenteia, acrescenta.

Terça-feira, será recebido de forma muito mais formal. No programa, uma visita à Cidade Proibida, uma reunião com o presidente do Congresso Nacional do Povo e com o primeiro-ministro, uma cerimônia de boas-vindas, a assinatura de acordos e contratos, uma declaração conjunta e um jantar de Estado.

Essa primeira viagem à Ásia do presidente francês marca uma nova etapa em sua agenda diplomática, centrada até agora na Europa e na África.

Macron quer se aliar com Xi em outras frente, além do combate às mudanças climáticas: a luta antiterrorista, apoio à força do G5 no Sahel e o desenvolvimento de energias renováveis na África.

Paris e Pequim mantêm pontos de fricção. A França, que sofre de um déficit comercial de 30 bilhões de euros com a China, quer reequilibrar o relacionamento e defende a reciprocidade na abertura de mercados entre a União Europeia (UE) e a China. Também defende um maior controle da UE dis investimentos, especialmente chineses, em setores estratégicos.

Macron é acompanhado por uma delegação de mais de 50 empresários.

A questão dos direitos humanos será abordada em particular, segundo o Palácio do Eliseu. Em uma declaração, a organização Human Rights Watch pediu a Macron que reclame publicamente por melhorias nesta questão e evoce o caso de Liu Xia, a viúva do Prêmio Nobel da Paz Liu Xiaobo que morreu no ano passado. A Sra. Liu permanece sob prisão domiciliar sem ter sido processada formalmente.

 

Últimas Notícias

Representantes das Coreias discutem show nos Jogos de Inverno
Morte de Dolores ORiordan cala uma das grandes vozes irlandesas
Morreu Dolores ORiordan, cantora irlandesa do Cranberries
Morre Dolores ORiordan, vocalista da banda irlandesa Cranberries
Moda masculina desembarca em Paris, ofuscada por acusações de assédio
Líbano proíbe exibição de dois filmes por boicote a Israel
Diane Krüger diz que em Hollywood homens têm medo após caso Weinstein
Vocalista do Cranberries, Dolores ORiordan morre aos 46 anos

MAIS NOTICIAS

 

Tantas pontuações já não significam nada, afirma premiado chef francês
 
 
Leonardo DiCaprio protagonizará filme de Tarantino sobre Charles Manson
 
 
DiCaprio vai estrelar filme de Tarantino sobre assassinatos de Charles Manson
 
 
Palestinos buscam dar uma resposta a Trump sobre Jerusalém
 
 
Países e organizações indignados com Trump por declarações racistas
 
 
Oliver Stone assina petição para que Lula possa disputar eleição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 4018-8212